22.8 C
Lucas do Rio Verde
quinta-feira, 09 dezembro, 2021
InícioMUNDOVacina da Pfizer protege contra infecção pelo coronavírus por meses após 2ª...

Vacina da Pfizer protege contra infecção pelo coronavírus por meses após 2ª dose, indica estudo em Israel

Por Lara Pinheiro, G1

Uma pesquisa feita em Israel publicada nesta quarta-feira (24) no “BMJ” apontou que a vacina da Pfizer contra a Covid-19 protegeu da infecção pelo coronavírus por pelo menos 3 meses após a segunda dose. Mesmo depois desse período, apenas 9,6% dos vacinados se infectaram com a doença.

A novidade do estudo é que ele mede a proteção contra a infecção pelo coronavírus, e não a capacidade da vacina de evitar casos graves ou morte pela Covid – que era a intenção original das vacinas contra a doença.


--Continua depois da publicidade--

“Isso é uma coisa nova. Isso é maravilhoso. Em geral, as vacinas não são desenhadas para proteger da infecção. Elas são desenhadas para proteger da doença”, explica a pesquisadora Cristina Bonorino, imunologista e professora titular da Universidade Federal das Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA).

Veja os principais pontos do estudo:

  • Ao todo, foram reunidos dados de vacinação de 83.057 pessoas no país.
  • Todas haviam recebido duas doses da vacina, com 21 dias entre as doses, e, durante o estudo, ainda não haviam recebido a dose de reforço.
  • 90 dias depois da segunda dose, só 7.973 pessoas haviam se infectado com o vírus, o equivalente a 9,6% do total de participantes.
  • O estudo não investigou a gravidade dos casos de Covid ou mortes pela doença.

Que existam 9,6% de infecções 90 dias depois da segunda dose de uma vacina em particular, no meio de uma pandemia, não é uma coisa que altere significativamente os dados de eficácia de uma vacina, que de fato nem sempre está baseada em evitar infecções”, reforça o pesquisador Oscar Bruna Romero, professor de doenças infecciosas e vacinas da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

“A maior parte das vacinas se baseiam em evitar os efeitos graves das infecções e muitas vezes não conseguem evitar pequenas infecções alguns meses depois da vacinação. Esse é o primeiro ponto. Ninguém prometeu que as vacinas bloqueariam as infecções, sobretudo a primeira geração de vacinas”, enfatiza o pesquisador.

 

Ele explica, entretanto, que 9,6% das pessoas terem se infectado NÃO quer dizer que a efetividade da vacina seja de 90,4%. Isso porque o cálculo de efetividade tem que levar em consideração a quantidade de pessoas que se infectaram entre os que não se vacinaram.


--Continua depois da publicidade--
Rebeca Moraeshttps://www.cenariomt.com.br
Redatora do portal CenárioMT, escreve diariamente as principais notícias que movimentam o cotidiano das cidades de Mato Grosso.

Redes sociais

107,354FãsCurtir
17,057SeguidoresSeguir
2,101SeguidoresSeguir

Lucas do Rio Verde

Lucas do Rio Verde
Ferrovia é tema do 1° Torneio de Robótica de Lucas do Rio Verde
dezembro 08, 2021
REFORÇOS
Luverdense usa redes sociais para anunciar elenco para a temporada 2022
dezembro 08, 2021
Ferrovia de Integração Estadual
Audiência pública sobre a ferrovia acontece na próxima segunda-feira (13)
dezembro 08, 2021
COMÉRCIO
Horário estendido para funcionamento do comércio começa hoje em Lucas do Rio Verde
dezembro 08, 2021