Grávida de gêmeos pega Covid e morre no parto: ‘Deixou anjinhos’

0
Foto: LHC Photo Studio/Divulgação

“Quando uma mãe morre no parto, ela vira anjo e está nos protegendo”. Essa frase é de Diego Rodrigues, de 24 anos, que perdeu a esposa de 23 anos, paciente de Covid-19, após o parto de emergência de gêmeos.

Diego, morador de Macatuba, no interior de São Paulo, desabafa que sua vida transformou de uma hora para outra e os filhos recém-nascidos o dão forças para continuar.

“Eu estou muito abatido, não tiro ela da cabeça, mas sei que Deus tem um plano pra nossa vida. Deus permitiu que ela deixasse dois anjinhos para eu cuidar, para me dar forças. Chorei tanto quando vi eles pela primeira vez, foi a coisa mais linda”, lembra Diego.

Larissa Blanco estava de 35 semanas de gestação dos gêmeos Guilherme e Gustavo quando deu à luz em um hospital particular de Botucatu (SP). Os meninos testaram negativo para coronavírus e permanecem internados em recuperação, pois nasceram prematuros.

“Me deu um alívio de ver eles bem. Os dois meninos vão precisar muito de mim e eles sempre vão ouvir histórias e saber da mamãe que tiveram. Todo mundo a amava”, conta Diego.

Segundo a prefeitura, Larissa testou positivo para coronavírus no dia 12 de junho. Diego contou que ela apresentou sintomas de gripe dias antes, mas só precisou ser internada na última sexta-feira (26).

No sábado à noite, ela foi transferida para Botucatu e entrou em trabalho de parto. “Eu fui na sala de cirurgia e eles já estavam tirando o primeiro bebê. Ela olhou para aquela carinha maravilhosa e eu fiquei todo emocionado, era o sonho dela”, lembra o marido.

Diego contou que o segundo bebê nasceu em seguida, depois de uma pequena complicação. Ele achava que tudo estava bem e se despediu da esposa para acompanhar as crianças. Mais tarde, Diego recebeu a notícia de que Larissa tinha tido uma hemorragia e precisou fazer transfusão de sangue.

“Ela teve uma hemorragia e não estava conseguindo conter. Depois ela teve uma parada cardíaca e precisou fazer transfusão de sangue. Por volta das 6h, me avisaram que ela não aguentou e tinha falecido. O médico disse que por causa da Covid, o corpo dela não conseguia cicatrizar”, explicou o pai dos gêmeos.

Diego também tinha testado positivo para coronavírus, mas não está mais transmitindo o vírus. Por isso, pôde acompanhar o desenvolvimento dos filhos no hospital até eles estarem prontos para receberem alta.

Leia também: Resultado das loterias de hoje (23/09/2020)


Amazonia 03 de Junho