24.6 C
Lucas do Rio Verde
quarta-feira, 14 abril, 2021
InícioCENÁRIO AGROFim do auxílio emergencial e queda no consumo preocupam mercado de lácteos...

Fim do auxílio emergencial e queda no consumo preocupam mercado de lácteos no Brasil

Por REDAÇÃO GLOBO RURAL

O auxílio emergencial, criado para minimizar os impactos da pandemia, foi essencial para manter a demanda de leite aquecida em 2020 e sustentar os preços mais elevados para os produtores. Mas, após sua interrupção, o setor tem se preocupado diante da queda na compra de derivados de leite pela população e das dificuldades nas vendas no varejo.

Segundo dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea-Esalq/USP), a média nacional de preços do litro de leite pago ao produtor chegou a atingir R$ 2,16 em outubro do ano passado. Em fevereiro, esse valor foi de R$ 2,03.


--Continua depois da publicidade--

“Ainda que o auxílio emergencial seja retomado pelo governo, o valor deverá ser menor e menos pessoas irão recebê-lo”, afirma o analista da Embrapa Gado de Leite, Denis Rocha, que acredita que um novo aquecimento de demanda dependerá da retomada econômica.

Outro ponto que preocupa o setor são os custos de produção, que estão em alta. De acordo com a Embrapa, a alta média das despesas foi de 10,7% em relação a 2019. Considerando os últimos dois anos, o aumento chega a 24,6%. Para a Embrapa, o que tem puxado o crescimento é a alimentação à base de concentrados para o rebanho, cujo preço da mistura mais que dobrou.

No atacado de São Paulo, os preços dos principais produtos lácteos recuaram. Entre eles estão o leite UHT, vendido a R$ 3,67 em agosto e negociado a R$ 2,90 em 5 de fevereiro, e a muçarela, derivado que mais se valorizou durante a pandemia, chegando a ser vendida a R$ 29,69 – o valor, no início de fevereiro de 2021, era de R$ 22,38.

O volume de importação de leite também sofreu queda, embora se mantenha em níveis altos, sendo 82% superior a janeiro de 2020. Apesar disso, o setor encontra notícias positivas, principalmente  na previsão do tempo, uma vez que a crise hídrica, que atrasou o início da safra em outubro, não deve preocupar nos próximos meses.

Segundo a Embrapa, a previsão para o trimestre é de precipitação acumulada próxima da média em boa parte das bacias leiteiras nos territórios de Minas Gerais e Goiás. Também estão previstos volumes acumulados entre a média e pouco acima da média para a maior parte dos Estados de São Paulo, Santa Catarina e Paraná.


--Continua depois da publicidade--

Dayelle Ribeirohttps://www.cenariomt.com.br
Redatora do portal CenárioMT
- Publicidade -

Últimas no CenárioMT

Lucas do Rio Verde

SEGURANÇA
Davi Paré reassume presidência do Conselho de Segurança de Lucas do Rio Verde
abril 14, 2021
PREMIADOS
Luverdense sorteia TV’s e prêmios em dinheiro a torcedores que compraram camisetas do clube
abril 14, 2021