Tudo conspirou a favor da alta do preço da soja nesta quarta-feira: o dólar subiu 0,47% no Brasil, Chicago subiu 2,18% e foram vendidas cerca de 500 mil toneladas de farelo de soja do Brasil, mais 300 mil da Argentina dando suporte aos preços, contrabalanceado, porém, pela queda dos prêmios do grão, que caíram 13 pontos para junho, 5 para julho e permaneceram inalterados de agosto em diante.

Com isto, os preços médios pagos pelo grão nos portos brasileiros subiram 0,38% para R$ 81,49/saca, reduzindo as perdas de julho para 1,32%. No interior, a alta foi de 0,29%, para R$ 75,75/saca, reduzindo a queda do mês para 1,79%.


Continua depois da publicidade

No mercado de Paper de Paranaguá houve negócios para julho a +110 e Agosto a +114. Os prêmios C&F posto na China da soja brasileira fecharam o dia também um pouco mais baixos, a +200 para julho e 213 para agosto. No mercado físico internacional de subprodutos a cotação do pellets de soja em Rotterdam ficou inalterado em US$ 397,00 (afloat).

Já as cotações dos óleos vegetais em Rotterdam foram as seguintes (primeiro mês cotado): o óleo de canola fechou a US$ 821,91 (826,39)/t, o óleo de linhaça fechou a US$ 780,00 (780,00)/t, o óleo de soja a US$ 728,21 (742,51)/t, o óleo de girassol a US$ 730,00 (725,00)/t e óleo de palma a US$ 485,00 (494,00)/t.

-Continua depois da publicidade ©-




-Patrocinador-