Leilão de linhas de transmissão tem deságio médio de 46,08%

0

O leilão de 16 lotes de linhas de transmissão e subestações em 13 estados teve deságio médio de 46,08%, informou a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Estavam aptos a participar 135 proponentes e foram feitas 107 ofertas. De acordo com o diretor da agência reguladora, Sandoval Feitosa Neto, a economia para o consumidor brasileiro é de aproximadamente R$ 25 bilhões nos próximos 25 anos.

“O processo competitivo aqui verificado nos permite dizer que, a despeito da necessidade de [Receita Anual Permitida] R$ 2,139 bilhões que foi proposta no edital após o processo competitivo nós contratamos por R$ 1,153 bilhão, ou seja, uma economia de R$ 986 milhões por ano. Multiplicando por 25 anos, o consumidor brasileiro deixou de pagar R$ 25 bilhões”, explicou.


Continua depois da publicidade

Os estados contemplados no leilão são Amazonas, Amapá, Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Pará, Paraná, Rio de Janeiro, Rondônia, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins.

A Neoenergia, que arrematou os lotes 1, 2, 3 e 14, alcançou a maior Receita Anual Permitida (RAP) entre as proponentes, com R$ 501.182 milhões, que corresponde a 43,44% do total geral do certame. Os lotes adquiridos por esta empresa compreendem os estados de Santa Catarina, Paraná, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo e Rio Grande do Sul.

-Continua depois da publicidade ©-

“Nós vamos mais que dobrar na transmissão. Foi um leilão que vai aportar um crescimento importante em termos de RAP e quilômetros de linhas e subestações”, diz Cristiane Costa Fernandes, representante da Neoenergia. Ela destacou que o crescimento foi estratégica que estava nos planos da empresa desde o primeiro leilão que participaram em abril de 2017.
Edição: Fábio Massalli





-Patrocinador-