19.9 C
Lucas do Rio Verde
sábado, 15 maio, 2021
InícioMUNDOSudeste tem mais mortos no mês do que nascimentos

Sudeste tem mais mortos no mês do que nascimentos

Por G1

O número de mortes superou o de nascimentos registrados no Sudeste em abril deste ano, apontam dados preliminares do Portal da Transparência do Registro Civil. Até sexta-feira (30), os estados somavam 84.742 mortes e 79.924 nascimentos. É a primeira vez que isso acontece na região desde o início da série histórica em 2003.

Se comparado ao mês anterior, houve variação de 167% na diferença entre o número de mortos e nascimentos.


--Continua depois da publicidade--

Em abril deste ano foram 4.818 óbitos a mais do que nascimentos. No mesmo período do ano passado foram 37.075 nascimentos a mais do que óbitos.

O dado expõe a alta mortalidade do mês de abril, sobretudo, pela pandemia de coronavírus. Na quinta-feira (29), a Fiocruz informou que a taxa de letalidade entre os infectados pela Covid-19 aumentou de 3% em março para 4,4% em abril.

A base de dados é abastecida em tempo real pelos atos de nascimentos, casamentos e óbitos registrados nos Cartórios de Registro Civil do País. Os números ainda podem ser alterados, uma vez que o Portal da Transparência do Registro Civil tem um prazo legal de até 14 dias para lançar os registros de óbitos na plataforma.

Abril mortal no sudeste


--Continua depois da publicidade--

Formado por quatro estados (São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais), o Sudeste é a região mais populosa do país, somando 85 milhões de habitantes.

O número de mortos também foi superior ao de nascidos vivos nos dois estados mais populosos da região: São Paulo e Rio de Janeiro.

  • SP

 

Em São Paulo, o registro é inédito. Desde o início da série histórica, em 2003, a diferença sempre foi positiva a favor dos nascimentos. Em abril deste ano, o estado registrou cerca de 3 mil óbitos (45.828) a mais do que o número de nascidos vivos (43.111). Em abril de 2020, foram 21.068 nascimentos a mais do que óbitos.

Também pela primeira vez, o decréscimo populacional foi observado na cidade mais populosa do país. Ao todo, foram 12.706 óbitos e 12.196 nascimentos neste ano, enquanto que em abril de 2020 foram quase quatro mil nascimentos a mais que óbitos.

  • MG

 

Minas Gerais apontou, até a última atualização do Registro Civil, apenas 41 nascimentos a mais do que óbitos. Em janeiro de 2020, esta diferença era de 10.348 registros de nascimentos a mais.

Na capital mineira, entretanto, o diferença mostra aumento no número de mortes. Foram registrados 2.501 óbitos e 2.115 nascimentos.

  • RJ

 

O fenômeno não é novidade no Rio de Janeiro, que pela terceira vez registra maior número de óbitos desde o início da pandemia. O estado já havia superado esta marca em maio e dezembro de 2020. Em abril deste ano, foram cerca de 2.453 mortes a mais do que nascimentos.

Na capital do estado a situação é ainda mais grave. Será o oitavo mês com mais falecimentos do que nascidos desde que a pandemia teve início.

  • ES

 

Entre os estados da região, o Espírito Santo foi o único que conseguiu manter uma diferença positiva a favor dos nascimentos. Foram 311 nascimentos a mais do que óbitos.

Já a capital, Vitória, registrou pela primeira vez um mês com mais óbitos neste mês. Foram 466 óbitos e 411 nascimentos. No mesmo período do ano passado, foram registrados 208 nascimentos a mais do que óbitos.


Dayelle Ribeirohttps://www.cenariomt.com.br
Redatora do portal CenárioMT
- Publicidade -

Últimas no CenárioMT

Lucas do Rio Verde

POLÍCIA
Morador de Lucas do Rio Verde cai em golpe e tem prejuízo de mais de R$ 25 mil
maio 14, 2021
SAÚDE
Lucas do Rio Verde é 2º na classificação regional e sobe para 41º no ranking estadual em vacinação contra Covid-19
maio 14, 2021