18.8 C
Lucas do Rio Verde
sábado, 15 maio, 2021
InícioMUNDOSemana de Vacinação das Américas busca diminuir lacunas na imunização

Semana de Vacinação das Américas busca diminuir lacunas na imunização

Opas pede que países intensifiquem chamado para que população se vacine e preencham lacunas de imunização geradas durante a pandemia.
Por Karine Melo - Repórter da Agência Brasil - Brasília

As vacinas nos aproximam. Com esse tema e com foco na prevenção contra a covid-19 e a influenza, a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) começa hoje (24) a 19ª edição da Semana de Vacinação das Américas.

Até o dia 30 de abril, em eventos regionais e globais, a entidade pede que países da região intensifiquem o chamado para que a população se vacine e preencham lacunas de imunização geradas pelas interrupções nos serviços de saúde durante a pandemia.


--Continua depois da publicidade--

Brasil

No Brasil, o Ministério da Saúde vai distribuir 80 milhões de doses da vacina influenza trivalente, produzida pelo Instituto Butantan, para imunizar um público-alvo de 79,7 milhões de pessoas. A campanha segue até o dia 9 de julho.

“O programa nacional de imunização do Brasil é um dos mais abrangentes que nós temos na nossa região das Américas. E não temos dúvida de que vamos atingir a meta de vacinação, não somente de influenza, mas também de todas essas vacinas que trazem vida às nossas famílias”, disse a representante da Opas no Brasil, Socorro Gross.

Covid-19

Gross também destacou que a entidade está empenhada, junto aos demais países das Américas, para que a região tenha mais vacinas contra o novo coronavírus.

“No Brasil, existem duas instituições que, para nós, são patrimônio da humanidade: a Fundação Oswaldo Cruz e o Instituto Butantan, que nos ajudam nesse sonho que nossa região precisa cumprir que é ser mais independente na produção de vacinas. Nossa organização está ao lado do Ministério da Saúde fazendo as tratativas para ter mais vacinas”, acrescentou.


--Continua depois da publicidade--

Grupos

No caso da influenza, a imunização no Brasil será feita em três etapas. Os grupos prioritários são:

• crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias);

• gestantes e puérperas;

• povos indígenas;

• trabalhadores da saúde;

• idosos com 60 anos ou mais;

• professores do ensino básico e superior;

• pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais;

• pessoas com deficiência permanente;

• forças de segurança e salvamento e Forças Armadas;

• caminhoneiros e trabalhadores do transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso;

• trabalhadores portuários;

• funcionários do sistema prisional;

• adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas;

• população privada de liberdade.

Intervalo

Como duas campanhas de vacinação estão em andamento de forma simultânea no país (gripe e covid-19), a orientação do ministério é que a dose contra o coronavírus seja priorizada entre os grupos prioritários. Com isso, a população-alvo da campanha contra a influenza que ainda não recebeu doses contra a covid-19 deve ser imunizada primeiramente contra o coronavírus e só depois contra a gripe, respeitando um intervalo mínimo de 14 dias entre as doses.

Balanço

Ainda segundo a pasta, até a última sexta-feira (23), mais de 56 milhões de doses de vacinas contra o coronavírus foram distribuídas a todos os estados e ao Distrito Federal de forma proporcional – dessas, mais de 36,8 milhões já foram aplicadas.

Edição: Paula Laboissière


Gustavo Praiadohttps://www.cenariomt.com.br
Gosta de economia, assistir séries, filmes de ação e gosta de videogames. Editor no CenárioMT nos cadernos de Economia e Mundo, mas nem por isso deixa uma notícia regional em branco, sempre atento as tendências que o internauta procura para ficar bem informado.
- Publicidade -

Últimas no CenárioMT

Lucas do Rio Verde

POLÍCIA
Morador de Lucas do Rio Verde cai em golpe e tem prejuízo de mais de R$ 25 mil
maio 14, 2021
SAÚDE
Lucas do Rio Verde é 2º na classificação regional e sobe para 41º no ranking estadual em vacinação contra Covid-19
maio 14, 2021