26.4 C
Lucas do Rio Verde
sábado, 31 outubro, 2020
Início MUNDO Porto do Rio faz 110 anos e busca mais competitividade e eficiência

Porto do Rio faz 110 anos e busca mais competitividade e eficiência

Secretário destaca planejamento estratégico para alcançar objetivo
Por Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro

A busca de mais competitividade é um dos objetivos do Ministério da Infraestrutura para o Porto do Rio de Janeiro, que completou hoje (20) 110 anos. O secretário executivo da pasta, Marcelo Sampaio, destacou que o planejamento estratégico é uma ferramenta importante para alcançar esse objetivo.

“A nossa ambição, como governo, como Ministério da Infraestrutura aqui, é promover a modernização da nossa infraestrutura nacional, com o intuito de aumentar a competitividade internacional do país e melhorar a qualidade de vida da nossa população”, disse Sampaio, durante conferência virtual comemorativa do aniversário do Porto do Rio.

De acordo com o secretário, o ministério tem trabalhado com planejamento alinhado para o setor portuário, que está colocado na Agenda Pró-Brasil, que procura desburocratizar as normas vigentes e criar um ambiente favorável a investimentos públicos e em parceria com o setor privado.

Privatização

Sampaio afirmou que o objetivo é tornar os portos mais eficientes, o que, segundo ele, passa pela privatização dos equipamentos públicos.

O secretário ressaltou que a ideia era começar pela privatização da Companhia Docas do Espírito Santo (Condesa), “até para testar o modelo”. O esforço visa tornar a Companhia Docas menor, mais simples em termos de portabilidade e mais saudável em termos de contabilidade. Sampaio informou que há um movimento que defende a privatização em conjunto da Companhia Docas de São Paulo (Codesp) e da Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ), que administra o Porto do Rio.

“Este é, sem dúvida, o futuro para a Companhia Docas do Rio”, disse o secretário. Para isso, terá de ser concluido o trabalho de saneamento da empresa, de modo a torná-la mais eficiente, acrescentou.

O diretor do Departamento de Navegação e Hidrovias da Secretaria Nacional de Portos e Transportes Aquaviários e presidente do Conselho de Administração da Companhia Docas do Rio, Dino Antunes Dias Batista, reiterou que trazer eficiência para a atividade portuária é um dos trabalhos efetuados pelo ministério.

Batista disse que a profissionalização da gestão das companhias Docas é um dos caminhos importantes para se alcançar essa meta, salientou.

Conquistas

O diretor-presidente da Companhia Docas do Rio, Francisco Antonio de Magalhães Laranjeira, citou, entre as conquistas recentes da empresa para o Porto do Rio, os investimentos em alta tecnologia para a melhoria dos acessos aquaviário e terrestre ao porto. Ele destacou a navegação noturna pelo Canal de Cotunduba, que está em fase de testes. O canal não precisa de dragagem, não tem assoreamento (acúmulo de sedimentos) e poderá ser usado à noite pelos navios.

Laranjeira citou também as manobras experimentais (ramp up) dos navios de 336 metros de LOA (length overall, medida que indica o comprimento máximo da embarcação) ; o Código Internacional para Proteção de Navios e Instalações Portuárias (ISPS Code, do inglês International Ship and Port Facility Security Code) e a elevação dos níveis de segurança portuária; a implantação do sistema de calado dinâmico, que vai aumentar a movimentação de carga, e do Sistema de Gerenciamento e Informação do Tráfego de Embarcações (VTMIS), visando ao aumento da segurança da navegação; além da informatização do sistema de controle do acesso de veículos e pessoas.

Segundo Laranjeira, até o terceiro trimestre do ano que vem, a primeira fase de implantação do Sistema de Gerenciamento e Informação do Tráfego de Embarcações deverá estar concluída, em parceria com o Ministério da Infraestrutura.

Outro assunto foi a construção da Avenida Portuária, via exclusiva para caminhões que ligará a Avenida Brasil ao porto e que deverá ampliar em cerca de 50% o movimento no local. Laranjeira citou ainda a renovação da concessão da MRS, que poderá incluir projetos para aumentar a capacidade do porto pelo modal ferroviário; a melhoria da gestão da Autoridade Portuária; o projeto de urbanismo Rua Walls, que prevê a pintura artística de alguns armazéns do porto, ao longo de 1,5 quilômetro do Cais da Gamboa, neste semestre. A companhia fará ainda arrendamentos para carga geral, granéis líquidos e apoio offshore (no mar).

Durante o evento, promovido pela Companhia Docas do Rio em parceria com o Sindicato dos Operadores Portuários do Estado do Rio de Janeiro (Sindoperj) e as empresas arrendatárias do porto, foi lançada a versão digital do livro Porto do Rio Século XXI. Produzido pela Secretaria de Transportes do Estado e pelo Sindoperj, o estudo tem apoio da acompanhia Docas e apresenta projetos considerados prioritários para a melhoria do porto.



© CenárioMThttps://www.cenariomt.com.br
CenárioMT - Publicamos notícias diariamente no portal!
- Publicidade -

Últimas

Encontro Estética das Periferias começa hoje em São Paulo

Um dos maiores eventos de artes da periferia das cidades brasileiras, o Estéticas das Periferias começa neste sábado (31), totalmente online. Nesta edição, que...

Polícia prende 5 motoristas por embriaguez ao volante no nortão

A Polícia Militar prendeu cinco pessoas por embriaguez ao volante, durante a Operação In Memorian, na madrugada deste sábado (31.10), em Sinop. O bloqueio policial...

Sobe para 26 total de mortos por terremoto na Turquia e Grécia

O terremoto que atingiu a região do Mar Egeu, entre a Turquia e a Grécia, deixou pelo menos 26 mortos nos dois países e...

Garotas de programa são estupradas após cair em golpe em Mato Grosso

Três garotas de programa registraram queixa depois de serem estupradas por três homens nessa sexta-feira (30), em Cuiabá. Segundo a Polícia Militar, elas foram...
x