31.7 C
Lucas do Rio Verde
quarta-feira, 28 outubro, 2020
Início MUNDO PF prende traficante internacional de drogas durante Operação Aplique

PF prende traficante internacional de drogas durante Operação Aplique

Por Flavia Albuquerque – Repórter da Agência Brasil São Paulo

A Polícia Federal prendeu hoje (23), como parte da Operação Aplique, uma pessoa que faz parte de um grupo que atuava no tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro. Outros 14 mandados de busca e apreensão foram cumpridos em São Paulo e Campo Grande (MS). O preso já estava sendo monitorado e investigado desde julho de 2017 por ter enviado mulas (pessoas que transportam drogas) com cocaína para Portugal.

Segundo o delegado regional de investigação e combate a crime organizado da Polícia Federal, Marcelo Ivo de Carvalho, foram notadas coincidências entre remessas apreendidas e o envio dessas pessoas ao exterior. “A partir das investigações, descobrimos que essas mulas eram entregues em um apartamento em São Paulo. A partir da coleta de imagens, em locais onde foram feitas reuniões com essas mulas, identificamos o alvo da operação”.

As pessoas que transportavam drogas eram enviadas para o exterior por meio do Aeroporto Internacional de Guarulhos e transportavam, em média, entre 30 e 40 kg de cocaína. “As mulas tinham características semelhantes, as drogas eram embaladas da mesma forma”. Entre o grupo havia estrangeiros de nacionalidade boliviana e espanhola, um deles com condenação por tráfico de drogas, na Bolívia, e outro com mandado de prisão expedido pela Espanha.

O alvo foi preso em casa, porque havia um temor da PF de que ele fugisse do país. “A intenção era deflagar a operação de forma conjunta, mas em virtude dessa possibilidade de fuga, ele acabou sendo preso antes. Essa investigação acabou cruzando com a outra que era desempenhada pela Delegacia de Repressão a Entorpecentes, que acabou sendo usada para confirmar a lavagem de dinheiro oriundo do tráfico de drogas”.

De acordo com o responsável pela Delegacia de Repressão a Entorpecentes da PF, Luiz Carlos Ratto Tempestini, foi feita um investigação paralela com relação à lavagem do dinheiro, na qual constatou-se movimentação financeira acima do declarado e incompatível com a atividade.

“A movimentação financeira da conta corrente foi de R$ 30 milhões em um ano e meio. A lavagem era feita por meio de salões de beleza e empresas de outros ramos”.

Todos os bens em nome do preso foram sequestrados pela Justiça, ou seja, ficam indisponíveis para o titular e, posteriormente, são revertidos para a União.

Edição: Lílian Beraldo



Dayelle Ribeirohttps://www.cenariomt.com.br
Redatora do portal CenárioMT
- Publicidade -

Últimas

Planejamento tributário é a opção para diminuir impostos em 2021

Colaboradoras e gestores do Modelo Contabilidade participaram do treinamento sobre planejamento tributário na última semana, nas dependências do escritório contábil. O assunto foi abordado...

Motorista de Jeep Renegade fura bloqueio da polícia, veículo era roubado

Policiais militares da 12ª Companhia de Barra do Bugres (a 168 km de Cuiabá) prenderam na madrugada desta quarta-feira (28.10), um homem por receptação...

Bandido erra alvo e acerta comparsa com dois tiros durante assalto

Policiais militares da 8ª Companhia de Campo Verde (a 131 km de Cuiabá) prenderam na noite desta terça-feira (27.10), dois homens por roubo. A informação...

Escolas do nortão, incluindo Lucas do Rio Verde recebem visitas para definir ações e projetos para 2021

Equipe da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Seciteci) visita Escolas Técnicas Estaduais (ETE’s) da Região Norte do Estado para discutir o...