Prefeitura dá início à perfuração de novos poços para atender crescente consumo de água agravado pela pandemia

A perfuração de cinco novos poços, um deles já em andamento, e a construção de outros quatro reservatórios, além dos dois recentemente entregues, solucionará o problema

0

O longo tempo passado sem perfuração de novos poços, o constante aumento populacional, o crescimento da demanda decorrente dos cuidados em virtude da pandemia do novo coronavíus e o longo período de estiagem verificado nessa época do ano têm contribuído para o desabastecimento de água registrado em alguns pontos da cidade de Lucas do Rio Verde, como os bairros Jaime Seiti Fujii, Vida Nova e Parque das Américas.

Com o início dos trabalhos de perfuração do poço 24, nesta sexta-feira (07), conforme foi anunciado pelo diretor de Desenvolvimento Humano, Gílson Baitaca, o problema de falta de água principalmente em lugares mais altos dessa região será logo resolvido. O novo poço será interligado ao reservatório do bairro Jaime Seiti Fujii. “Eu acredito que em uns 15 dias mais ou menos essa situação de desabastecimento neste setor estará sanada”, avalia.


-Continua depois da publicidade ©-

Problema semelhante tem sido enfrentado pelos moradores dos bairros Veneza I e II, Jardim das Palmeiras e parte do Jardim Europa, que têm se deparado com falta de água ou falta de pressão nas torneiras a partir da metade da tarde porque a atual estrutura não tem sido suficiente para atender a demanda. “Sabemos que muitas residências não contam com reservatórios próprios e isso também é um agravante a ser considerado. Nesse período de pandemia, estamos há 81 dias sem chuva e praticamente o consumo de quase todas as famílias deve ter aumentado de abril para cá devido à própria pandemia”, considera.

Além disso, Baitaca lembra que entre as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde para prevenir e combater o novo coronavírus estão a frequente higienização das mãos e o hábito das pessoas tomarem banho e lavarem suas roupas toda vez que retornarem para casa. “Temos quase 20 mil alunos da rede pública e privada que estão sem aula. Essas crianças e jovens estão em casa e sabemos que isso acaba por elevar o consumo. Por isso, também faço um apelo para que todos façam uso consciente e racional da água”, conclama.

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae), conforme explicou, passou um bom período com estrutura suficiente para atender a demanda, porém, o constante crescimento demográfico nos últimos anos e outras questões sazonais, como os períodos de estiagens prolongadas, são responsáveis pela elevação do consumo acima da capacidade existente e exigem respostas do poder público para evitar transtornos à população.

Segundo o diretor, a última perfuração de poço na zona urbana de Lucas do Rio Verde por parte do Executivo foi em 2014, quando o Saae contabilizava 20.063 economias de água. Atualmente, o número de ligações existentes atingiu o total de 26.224 sem que nenhum poço tivesse sido perfurado nesse período. Além disso, o último reservatório tinha sido construído no bairro Jaime Seiti Fujii, no ano de 2012.

Todo problema de abastecimento somente será resolvido de vez quando o projeto de setorização da água estiver concluído, com a construção dos seis novos reservatórios – cada um com capacidade de armazenamento de 1.750.000 litros – e a perfuração de mais cinco poços tubulares em diferentes pontos da cidade, como está previsto no planejamento.

O primeiro, localizado próximo da Concha Acústica, já foi entregue no dia 10 de junho para atender a comunidade dos bairros Jardim Amazônia I e II, Jardim Imperial, Primaveras I e II, Rio Verde, Veneza e Cerrado. O outro, entregue na última terça-feira (04), fica no Parque das Emas e atenderá toda aquela região.

Leia também: Resultado das loterias de hoje (01/10/2020)


Amazonia 03 de Junho