Santos confirma derrota na Fifa e diz que foi “lesado” na operação que levou Neymar ao Barcelona

0
Foto: AFP

O Santos confirmou, em nota oficial divulgada na tarde desta terça-feira, que recebeu a decisão Tribunal Arbitral do Esporte envolvendo a negociação de Neymar para o Barcelona, concluída em 2013. O órgão deu razão ao clube catalão.

No posicionamento, o Santos, que entrou na Fifa contra o Barcelona ainda em 2015, na gestão do ex-presidente Modesto Roma Júnior, lamentou a derrota, mas diz que “respeitará a decisão que afastou o inquestionável fato de que foi lesado na operação”.

O TAS entendeu que houve rescisão mútua de contrato entre Neymar e o Santos e, por isso, não haveria razão para a multa pedida pela equipe brasileira – por danos e prejuízos na saída do jogador. O valor pedido, de acordo com o Barcelona, era de 61,29 milhões de euros (cerca de R$ 368 milhões).

Além da derrota, o Santos fica responsável pelo pagamento dos custos processuais da disputa, no valor de 20 mil francos suíços (R$ 112 mil), de acordo com o Barcelona.

Veja a nota do Santos:

“O Santos FC informa que recebeu hoje, terça-feira (7), a decisão conjunta dos casos CAS/A/5725 e CAS/A/5726, cujo objeto questionava a operação de transferência do atleta Neymar Jr. ao FC Barcelona.

A ação em questão foi proposta em 2017, quando a responsabilidade pelo caso ainda era do escritório Bonassa Bucker Advogados, contratado pela gestão anterior do clube. Em primeira instância (FIFA), a ação foi julgada improcedente, havendo interposição de recurso ao CAS. Após o início da atual gestão, o Santos FC contratou o escritório internacional Kellerhals Carrard, na pessoa do Dr. David Casserly, para tentar a reversão da decisão e conduzir o final do processo.

O Santos FC lamenta, porém, respeitará a decisão que afastou o inquestionável fato de que foi lesado na operação. Ao mesmo tempo, espera que tal desfecho signifique um novo capítulo de transparência e lisura para as operações de transferências do clube, vide a transferência do atleta Rodrygo Góes ao Real Madrid”.

Entenda o caso

O Santos foi à Fifa contra o Barcelona ainda em 2015 por entender que tinha direito a receber mais do que tinha recebido pela transferência do atacante Neymar ao clube espanhol.

A diretoria do Santos à época entendia que o clube havia sido lesado e teria direito a um valor maior na negociação. O clube catalão disse inicialmente que havia pago cerca de € 57 milhões na compra do brasileiro, mas reconheceu posteriormente que o custo ultrapassou os € 86 milhões.

O Santos entendia ter direito a cerca de 65 milhões de euros, a diferença entre os 17,1 milhões de euros que recebeu pela venda e os 85 milhões que estima como sendo o valor total do negócio – o pai de Neymar, Neymar da Silva Santos, recebeu 40 milhões de euros através de uma de suas empresas, a N&N Consultoria.

Veja o comunicado do Barcelona:

“O Tribunal Arbitral do Esporte rejeitou integralmente o pedido interposto pelo Santos na Fifa, no qual reclamava ao Barcelona o pagamento de 61.295.000 euros por danos e prejuízos, com as consequentes sanções esportivas, em função da contratação do jogador Neymar Jr.

O TAS considera que o contrato entre o Santos e o jogador foi rescindido em acordo mútuo, que o Barcelona não descumpriu o acordo de negociação quando pagou quantias adicionais ao pai do jogador e à sociedade N&N, e que o Barcelona não cometeu nenhuma conduta fraudulenta quando assinou o pré-contrato com Neymar Jr, nem quando firmou o acordo de transferência com o Santos.

A resolução do TAS também condena o Santos a pagar as custas processuais ao Barcelona, em um montante de 20 mil francos suíços”.

Leia também: Resultado das loterias de hoje (29/09/2020)


Amazonia 03 de Junho