21.2 C
Lucas do Rio Verde
quinta-feira, 17 junho, 2021
InícioCENÁRIO POLÍTICODIRETO DE BRASÍLIAWajngarten, Pfizer e Butantan confirmam demora do governo para comprar vacinas

Wajngarten, Pfizer e Butantan confirmam demora do governo para comprar vacinas

Dimas Covas relatou demora do governo na negociação da CoronaVac e falta de apoio ao Butantan
Por CenárioMT com inf. Agência Senado

selo_200x200.jpg

Outro tema explorado pela CPI da Pandemia nos primeiros 30 dias foi a compra de vacinas contra o coronavírus. O ex-secretário de Comunicação da Presidência da República Fabio Wajngarten disse à comissão que o Palácio do Planalto demorou dois meses para responder uma carta em que a farmacêutica Pfizer prometia doses do imunizante ao Brasil. Mas ele poupou críticas a Jair Bolsonaro e Eduardo Pazuello.


--Continua depois da publicidade--

O presidente da empresa na América Latina, Carlos Murillo, confirmou a demora para a negociação das vacinas por parte do governo brasileiro. Segundo ele, a Pfizer fez três ofertas ao Brasil em agosto de 2020. Elas previam a entrega de até 70 milhões de doses ainda no ano passado. O Brasil começou a imunização contra o coronavírus em janeiro de 2021 com a vacina CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan.

O diretor do Butantan, Dimas Covas, foi o último a depor na primeira fase de investigações. Ele disse ter feito a primeira oferta de vacinas contra a covid-19 ao Ministério da Saúde em 30 julho de 2020, mas — assim como a Pfizer — também ficou sem resposta. Seriam 60 milhões de doses, entregues no último trimestre daquele ano. Segundo Covas, o Brasil poderia ter sido o primeiro país a iniciar a vacinação.

O ex-ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo também foi convocado a depor. Para senadores que participaram do depoimento, os atritos do Brasil com a China durante a pandemia dificultaram a aquisição do insumo farmacêutico ativo (IFA) usado para a produção das vacinas CoronaVac e AstraZeneca, produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). O ex-chanceler negou que a atuação dele tenha prejudicado a compra de vacinas.

O presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra Torres, foi questionado sobre a demora para a autorização do imunizante russo Sputnik V. Ele disse que a liberação do produto depende da apresentação de documentos pelo fabricante.


--Continua depois da publicidade--

Para o senador Humberto Costa (PT-PE), se o governo federal tivesse comprado as vacinas do Butantan e da Pfizer quando foram oferecidas, o país já poderia ter imunizado todo o grupo de risco previsto no Plano Nacional de Imunização (PNI). Até esta sexta-feira (28), 10% da população recebeu as duas doses da vacina.

— Se você juntar as doses da CoronaVac e as propostas que foram feitas pela Pfizer até o primeiro trimestre de 2021, além da Covaxin e da AstraZeneca, nós já teríamos vacinado toda aquela população vulnerável brasileira. Aqueles 70 milhões de pessoas com mais de 60 anos, com comorbidades e de áreas com alta exposição, como segurança pública e profissionais de saúde. É demolidor. Uma demonstração clara da omissão e do desinteresse do governo — denunciou.

Para o senador Marcos Rogério (DEM-RO), o Ministério da Saúde jamais interrompeu a negociação para a compra de imunizantes. Segundo ele, apesar das declarações e postagens do presidente Jair Bolsonaro contrárias à aquisição da CoronaVac, a responsabilidade pela aquisição era exclusiva da pasta.

— Quem negocia com o Instituto Butantan é o Ministério da Saúde. Não é o presidente da República, não é outro ministro. Quem negocia aquisição de vacina é o Ministério da Saúde, e essa negociação começou desde o primeiro encontro, em julho do ano passado. A partir de agosto, ela se intensifica com indicativo de compra a partir do momento em que a vacina tivesse todas as credencias (da Anvisa). Com a autorização, o contrato sai — defende.

Leia mais sobre o balanço de um mês da CPI da Pandemia
Em um mês, CPI revela falhas no combate à covid e amplia investigação
Mandetta revela “gabinete paralelo” e tentativa de mudar bula da cloroquina
Perguntas sem respostas motivam reconvocação de Queiroga e Pazuello
CPI começa a investigar governadores, mas oposição denuncia “parcialidade”
Renan diz ter ‘provas sobejas’ de gabinete paralelo e falta de prioridade para vacina
Vacina e cloroquina estão em campos opostos na CPI, segundo nuvem de palavras

- Publicidade -

Últimas no CenárioMT

Lucas do Rio Verde

LUCAS DO RIO VERDE
Empresário visita Lucas do Rio Verde com objetivo de implantar indústria têxtil
junho 16, 2021
Lucas do Rio Verde
Prefeitura de Lucas do Rio Verde entrega toucas para alunos de hidroginástica
junho 16, 2021