20.8 C
Lucas do Rio Verde
quinta-feira, 04 março, 2021
Início CENÁRIO POLÍTICO DIRETO DE BRASÍLIA Senadores entram com representação no Ministério Público para investigar Aras

Senadores entram com representação no Ministério Público para investigar Aras

Augusto Aras em sabatina na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) no Senado, em 2019, para a Procuradoria-Geral da República. Senadores o acusam de omissão em apurar crimes de Jair Bolsonaro
Por CenárioMT com inf. Agência Senado

Os senadores Alessandro Vieira (Cidadania-SE), Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Fabiano Contarato (Rede-ES) entraram nesta sexta-feira (22) com representação junto ao Conselho Superior do Ministério Público Federal (MPF) para que o procurador-geral da República (PGR), Augusto Aras, responda por infrações administrativas.

Os parlamentares solicitaram a apuração disciplinar contra Augusto Aras no âmbito do Conselho Superior do MPF pela declaração sobre “estado de defesa” e afirmaram que o procurador é omisso em apurar crimes do presidente da República.


--Continua depois da publicidade--

No documento, os parlamentares explicam que o PGR deve responder politicamente no Senado e criminalmente no Supremo Tribunal Federal (STF), mas que essas modalidades de responsabilização não excluem uma terceira responsabilização – como membro do MPF, já que todos os ocupantes da carreira devem observar os preceitos da Lei Orgânica do MPU (Lei Complementar 75, de 1993).

Para Alessandro Vieira, a representação é necessária já que, “infelizmente, o Senado tem feito vista grossa às condutas de altas autoridades, enviando uma mensagem de compadrio e leniência que instiga o cometimento de crimes de responsabilidade. Quando o peso da lei não se faz sentir, se encorajam toda sorte de malfeitos”.

“Se qualquer procurador pode responder por violar os mandamentos da Lei Orgânica que disciplina a carreira, como sustentar imunidade ao procurador-geral? Ele deveria ser o primeiro a dar o exemplo”, afirma Randolfe Rodrigues.

Já Fabiano Contarato destaca o excesso de poderes nas mãos dos procuradores de Justiça:


--Continua depois da publicidade--

“O Constituinte concentrou poderes excessivos nas mãos do PGR, ao lhe dar a prerrogativa exclusiva de processar criminalmente o presidente e seus ministros: quem puder contar com um ‘engavetador-geral’ terá certeza de vida fácil, ainda que seus crimes saltem aos olhos”.



- Publicidade -

Últimas no CenárioMT

Lucas do Rio Verde

DESENVOLVIMENTO
Lucas do Rio Verde alcança mais de 80% de metas em plano de desenvolvimento do TCE-MT
março 04, 2021
RISCO ALTO DE INFECÇÃO
Agravamento da covid-19 suspende expediente presencial na Comarca de Lucas do Rio Verde
março 04, 2021