Na última quinta (14), o plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou decisão liminar da ministra Rosa Weber que mantém as normas vigentes em relação ao calendário eleitoral. O Partido Progressistas pedia a flexibilização dos prazos da eleição municipal, prevista para outubro deste ano, por conta da covid-19.

O Senado participou do julgamento representado pelo advogado-geral da Casa, Fernando Cesar Cunha. Para ele, a decisão confirma que qualquer modificação em matéria eleitoral deve passar pelo Congresso.

O senador Arolde de Oliveira (PSD-RJ) entende que pode haver necessidade de adiar a eleição, porém, ele considera complexo prorrogar mandatos de prefeitos. Saiba mais na reportagem da TV Senado.

Fonte: Agência Senado




--PATROCINADO--