Em parceria com o Citigroup Inc. e uma cooperativa de crédito na Stanford University, a gigante das buscas pretende colocar no ar em 2020 o projeto Cache. A informação foi revelada pelo Wall Street Journal.

A iniciativa pode sacudir o mercado digital dos bancos mundiais, já que novas possibilidades de bons investimentos e serviços bancários gratuitos podem surgir.

“Nossa abordagem será fazer uma parceria profunda com os bancos e o sistema financeiro. Pode ser um caminho um pouco mais longo, mas é mais sustentável”, revelou Caesar Sengupta, gerente geral e vice-presidente de pagamentos do Google.

O projeto Cache vai colocar em xeque uma das regras mais tradicionais do setor bancário: alteração bancária. É muito incomum a transição entre instituições, ou seja, o usuário tem uma tendência a seguir com aquela conta corrente por muito tempo.

O surgimento da portabilidade bancária e dos bancos digitais, NuBank e Banco Inter, por exemplo, já causou um desconforto nas instituições mais tradicionais do Brasil. Agora, com essa chegada do Google, novas mudanças podem surgir.

Não foi revelado ainda se as novas contas bancárias seguirão o modelo grátis dos serviços da empresa, mas elas serão acessíveis por meio da plataforma Google Play.


Amazonia 03 de Junho