Não domino sequer o ar que respiro

0

Não consigo entender isto, mas você me controla,
usando o ar que respiro.
Dona da situação, quando percebo, sou um menino “levado”, levado por você, que controla até o ar que respiro.

Em movimentos quase imperceptíveis.
porém, quentes, ondulares, úmidos e com um odor só seu,
você me domina, usando o ar que respiro.


-Continua depois da publicidade ©-

É dona de minhas vontades.
sinto desejos de mais e mais você,
hipnotizado, não percebo e sou dominado por seu sorriso, safado, insinuante, provocante, meio de lado,
que me leva sem me tocar, para onde você quiser,
pois, você controla até o ar que respiro.

Para quem não sabe, não sentiu, não crê, pode tenha certeza,
é nos braços do amor que percebemos, amar é divino.
Ou mundano, como diz a vovó, sexo é bom, mas amor é foda.
Safada, me deixa em transe, me faz gemer sem sentir dor,
como pode controlar até o ar que respiro.

Tem em seu prazer, me fazer ficar louco, descompassado,
ri, ao perceber
ele não domina mais sequer,
sua respiração.

Não entendo, fico perdido em você,
Como em uma serra graciosa, cheia de belezas,
quantas curvas,
sons indecifráveis,
cheiros que enchem o ar, que maravilha é você,
que controla até o ar que respiro.
és pura natureza.

Num sobe e desce constante, você me faz perder o controle.
Ahhhh suas subidas, quantos morrinhos gostosos,
Meu Deus.
E a descida, que frio na barriga,
de novo, você controla até o ar que respiro..

Nessas horas, queria dominar ao menos minha respiração.
Mas não consigo, o mundo parece parar
Escuto meu coração,
você “santinha”,
sente meu pulso em ti.
E de novo, safada você sorri,
eu, rssssss…. já estou em outro mundo.

O mundo dos prazeres, do amor, da perdição,
tudo é culpa sua.
Pareço em órbita.
Tudo gira em uma velocidade, indescritível,
é uma sensação sem igual,
você me conduz como em uma montanha russa,
dona do meu caminho, me leva como quer, para onde quiser,
pois com maestria, controla até o ar que respiro.

Já não sei de mais nada.
Nem respirar consigo
e você, ao perceber isto,
que estou louco, sem freio,
e nada mais me controla;
gruda em meu corpo, me aperta,
puxa,
morde,
beija,
me faz frear, parar, tão forte, tão repentino,
que me despedaço dentro de ti,
em milhares de pequenos eu, que posso fazer,
nada, nem sequer controlo o ar que respiro.
Por alguns minutos, dias, segundos, por sei lá quanto tempo, fico em transe.
Devagar, mas bem devagarzinho,
Sinto meu corpo respirar,
o mundo esta ao meu lado, estou vivo.
Vejo uma mão, deve ser minha, mas ainda não consigo mexê-la.
Estou entorpecido, e você ainda, controlando o ar que respiro.

Voltando ao normal, olho para o lado,
vejo você, com aquele sorriso safado, gostoso.
E decido,
quero esta mulher comigo.
Você foi feita para a exclusividade de nosso amor,
deixa eu te amar.
Pois você me dá vida, já que controla até,
o ar que respiro.

Paulo Cesar


-
-