O carnaval de 2019 reuniu mais de 7 milhões de foliões no Rio de Janeiro e movimentou R$ 3,78 bilhões em receitas na economia da cidade, divulgou hoje (11) a prefeitura, que comemorou os números, considerados recordes. O balanço considera os dias entre a sexta-feira de carnaval (1º) e o último fim de semana (9 e 10), quando havia megablocos desfilando na cidade.

A receita gerada para os setores de comércio e serviços aumentou 26% em comparação com 2018. A cidade recebeu mais de 1,6 milhão de turistas, que ficaram no Rio durante uma média de sete a 11 dias.

Outro número positivo informado pela prefeitura foi a queda no número de atendimentos nos postos de saúde. Foram 16,4% menos pacientes recebidos nessas unidades. A temperatura mais amena foi um dos motivos apontados, já que o carnaval teve clima nublado e chuva na maior parte do tempo.

Essa movimentação gerou um número 14% maior de lixo na cidade, segundo a Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb). Foram 1.227 toneladas de resíduos, se contabilizados os blocos de rua, o Sambódromo, os bailes de carnaval e outras festividades.

Equipes do programa Lixo Zero aplicaram 231 multas para quem descartou lixo de forma irregular e 999 para os famosos “mijões”, que tiveram que desembolsar R$ 563,30.

A Guarda Municipal atuou com quase 5,5 mil agentes nos blocos de rua e quase 3,5 mil no Sambódromo e efetuou 26 prisões em 18 ocorrências de crime. A maioria dos registros ocorreu durante os blocos de rua. A Secretaria de Ordem Pública (Seop), rebocou 2.528 veículos durante o Carnaval, uma média de 14 por hora. Neste ano, a secretaria aumentou o número de reboques de 18 para 50, e os proprietários dos veículos removidos devem procurar os depósitos municipais no Recreio dos Bandeirantes ou São Cristóvão para retirá-los, das 8h às 17h.



Também no balanço da prefeitura consta que a Secretaria de Fazenda apreendeu 10 mil itens irregulares com ambulantes até ontem (10). O rol de apreensões inclui bebidas diversas, vidro, isopores, cigarros, mesas, caixa de som, botijão de gás, churrasqueiras, triciclos e carrinhos, que foram lacrados pela Coordenadoria de Controle Urbano e levados para o depósito da Prefeitura, onde podem ser recuperados com a apresentação de nota fiscal.

Edição: Valéria Aguiar