Os deputados do PSL de Mato Grosso , saíram, ontem, terça-feira (26), em defesa da senadora  Selma Arruda, a maior liderança do partido no Estado, que obteve mais 678 mil votos no ano passado, o que a tornou a primeira colocada na disputa por uma das duas vagas ao Senado.

Nessa semana o Ministério Público Federal  (MPF), pediu à Justiça Eleitoral de Mato Grosso,  a cassação do diploma da senadora, alegando a prática de Caixa Dois no pleito eleitoral de outubro passado, o que  é prontamente refutado por Selma.

A senadora Selma foi eleita com o poder  do voto, ou seja, foi legítima a vitória dela e acreditamos que ela vai conseguir  provar que suas alegações estão corretas e que não houve Caixa Dois, os votos que ela recebeu  foram livres e conscientes”, apontou o deputado Delegado Claudinei, que na campanha eleitoral de 2018 fez dobradinha com Selma, na região de Rondonópolis.

Nessa mesma linha,  o também deputado estadual  do PSL, Sílvio Fávero, publicou em sua rede social um post para defender a senadora das acusações feitas.

Diante de tudo que tem sido colocado pelo Ministério  Público e pela imprensa,  quero justificar que não se trata de Caixa Dois, visto que os gastos apontados, foram feitos no período de pré-campanha e com dinheiro pessoal, não havendo qualquer ilícito ou má fé, inclusive, já há entendimento no Tribunal Superior Eleitoral que não há necessidade de prestar conta no período de pré-campanha”, defendeu Fávero, refutando também a acusação de abuso de poder econômico, alegado pelo Ministério Público. “A Família PSL de Mato Grosso e o nosso presidente Jair Bolsonaro, todos nós continuamos firmes com nossa senadora Selma Arruda”, completou.

Silvio Fávero foi apoiado por Selma Arruda  na região de Lucas do Rio Verde, quando do pleito eleitoral de 2018 e  acompanhou, in loco, a aceitação e o clamor popular que deram à juíza aposentada a primeira vaga no Senado para essa legislatura, iniciada agora  em fevereiro.

 

 O deputado Delegado Claudinei, salientou ainda a credibilidade de Selma Arruda  junto à classe acadêmica de direito, que segundo ele, apoiou e continua apoiando a senadora.

Ela levou, seus conhecimentos em palestras por faculdades em todo o Estado, mostrando seu conhecimento e sua experiência, o que motivou acadêmicos de direito de todo o Mato Grosso”,  reforçou  Claudinei.

Selma Arruda se elegeu senadora em 7 de outubro de 2018, obtendo 678.542 votos, ou seja, mais de 187 mil votos à frente do segundo colocado e 243 mil à frente do terceiro colocado que, não se elegeu, já que eram apenas duas vagas.