Pancreatite: o que é?

0

Você conhece alguém que já teve dor de barriga e depois descobriu que era uma pancreatite? Sabe quando deve suspeitar desse problema? Pois é disso que trataremos aqui: pancreatite aguda.

A pancreatite é uma doença potencialmente grave, e que se não tratada corretamente pode levar à morte. Os principais sintomas iniciais dela são dor abdominal, náuseas e vômitos, porém, eles também são muito comuns à outros problemas muito menos graves, como gastrite, viroses, gases, dentre outros.


Quando suspeitar que a dor de barriga é uma pancreatite aguda?

O pâncreas é um órgão pequeno, que mede cerca de 50 a 60cm³ e não pesa mais que 100g. Ele se localiza atrás do estômago e dos intestinos, na chamada boca do estômago, e fica muito próximo à coluna vertebral.

Ele tem duas funções principais, a primeira é produzir hormônios, os dois principais são insulina e glucagon, responsáveis pelo controle da glicose (o açúcar do sangue) na corrente sanguínea, e quando há um desbalanço na produção deles, isso pode acarretar doenças, como o diabetes.

A segunda função é digestiva, o pâncreas produz inúmeras enzimas para digerir os alimentos que comemos, como carboidratos, proteínas e especialmente lipídeos (gorduras).

Você pode estar se perguntando: se o nosso corpo é feito de carboidratos, proteínas e gorduras, ou seja, dos mesmos compostos que o pâncreas digere, então por que não somos digeridos pelo pâncreas?

A resposta é que essas enzimas só começam o processo de digestão no momento em que saem do pâncreas e atingem o intestino, cuja parede é preparada para que ocorra o processo de digestão.

Se acontecer uma inflamação no pâncreas, as enzimas não saem dele, e, portanto, não chegam ao intestino, e começam a digerir o próprio pâncreas, isso chama-se pancreatite aguda, e pode iniciar na região pancreática e atingir outros órgãos, como pulmão e rins.

Sintomas

A dor, que aflige o abdômen superior, próximo da boca do estômago, pode se espalhar também para os lados da barriga e para as costas, constituindo a chamada dor em faixa, que é de forte intensidade, e de acordo com muitos se assemelha a de um soco no estômago.

Outra característica importante dessa dor é que ela não é amenizada com a administração de analgésicos comuns, e ocasionalmente surge associada com náuseas e vômitos. A depender da gravidade da doença, pode ocorrer também distensão abdominal, falta de ar e icterícia.

Fatores de risco

Além dos sintomas citados, é importante investigar se o indivíduo possui algum fator de risco para o desenvolvimento da pancreatite aguda.

Pedras na vesícula respondem por mais de 50% dos casos de pancreatite aguda. Os ductos, que são espécies de canos que levam a bile ao intestino, passam próximos ao ducto do pâncreas, assim essas pedrinhas (cálculos) podem obstruir parcialmente o ducto do pâncreas, causando pancreatite.

Qualquer pessoa pode ter pedra na vesícula, porém, isso ocorre mais comumente em mulheres, em quem tem mais de 50 anos, em obesos, e em quem ingere muita gordura ou quantidade demasiada de bebida alcoólica, esta por sinal é a segunda principal causa de pancreatite aguda. Quanto maior a quantidade de álcool ingerida, pior para o pâncreas. Bebidas destiladas como pinga, vodka, whisky e conhaque, têm quantidade muito maior de álcool do que as fermentadas, como vinho e cerveja, e portanto, maior potencial de causar danos ao pâncreas.

O hábito de fumar também aumenta a predisposição de episódios de pancreatite aguda, que também podem ser causados pelo uso de determinadas medicações, alterações genéticas, taxas de triglicerídeos altas no sangue, e por alguns vírus, como o da cachumba, o citomegalovírus, o da febre amarela e o HIV (do inglês Human Immunodeficiency Virus).

Tratamento

Se você foi diagnosticado com alguma dessas infecções virais, e está sentindo dor de barriga que não melhora com analgésicos habituais, e também está tendo náuseas e vômitos, procure um médico cirurgião geral ou um cirurgião do aparelho digestivo ou um gastroenterologista.

 


Paulista de Taubaté, Aldo José dos Santos é médico generalista graduado pela UNITAU. Colabora também no portal Leet Doc

 

 

 

 

Como ocorre a resistência insulínica

| deixe sua opinião |

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui