Votação no Rio tem forte esquema de segurança com 45 mil agentes

0

Com um esquema de segurança envolvendo 45.600 agentes das forças federais e estaduais, as eleições neste segundo turno começaram hoje no Rio de Janeiro com longas filas em várias zonas eleitorais, o que reflete a preocupação do eleitor de evitar os transtornos ocorridos no primeiro turno, quando muitos esperaram até duas horas para votar.

As informações da Secretaria de Segurança indicam que as Forças Armadas estão presentes com 6.778 agentes nos pontos de votação e também participarão da escolta das urnas. Já o esquema de segurança montado pela Polícia Militar prevê 35 mil agentes – sendo 13.200 policiais extras – em todo o estado. Também participam do esquema 2.200 agentes da Polícia Civil.


Terceiro maior colégio eleitoral do país, o estado do Rio conta com mais de 12,4 milhões de eleitores aptos a votar neste domingo (28) em 4.896 locais espalhados por 92 municípios.

São 27 polos de urnas, 19 no interior e 8 na capital, por onde estão distribuídas 165 zonas eleitorais, 116 das quais no interior do estado e 49 na capital.
O estado conta com 38.576 urnas eletrônicas, das quais 33.901 para as seções eleitorais e outras 4.675 de contingência para o caso de surgirem defeitos nas disponibilizadas para as seções.

Maior colégio eleitoral do país, o município do Rio de Janeiro contabiliza mais de 4,89 milhões de eleitores, que têm 1.438 locais de votação e 11.779 seções efetivas.

Além da capital, situam-se entre os dez municípios com maior eleitorado, São Gonçalo, na Região Metropolitana, com mais de 678 mil eleitores; Duque de Caxias e Nova Iguaçu, ambos na Baixada Fluminense, com respectivamente 634,7 mil e 588,4 mil eleitores; e Niterói, também na Região Metropolitana, com mais de 384 mil eleitores.

  Posse de Bolsonaro será às 15h de 1º de janeiro, diz Eunício

Biometria

Cerca de 7 milhões de eleitores estão aptos a votar com identificação biométrica no estado do Rio neste segundo turno, pouco mais da metade do eleitorado de mais de 12,4 milhões de eleitores.

As informações do Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ) indicam que, além dos 2.317.194 eleitores que fizeram o cadastramento na Justiça Eleitoral, outros 4,6 milhões que constam no banco de dados de identificação civil (carteira de identidade) do Departamento de Trânsito (Detran) também poderão ser identificados pelas digitais.

Isto será possível graças a um convênio do Tribunal Superior Eleitoral com o Departamento de Trânsito, que prevê o compartilhamento de dados.

No primeiro turno, mais de 3,2 milhões de eleitores que tiveram os dados aproveitados do Detran-RJ foram identificados biometricamente.

Os eleitores que não fizeram a biometria, mas não estão com o título cancelado ou suspenso, também poderão votar normalmente. O eleitor pode consultar sua situação no site.

Eleições suplementares

O Tribunal Regional Eleitoral informou que, nas cidades de Aperibé, Laje do Muriaé e Mangaratiba, estão sendo realizadas hoje eleições suplementares para prefeito.

Neste caso, a ordem de votação se manterá inalterada para os dois primeiros cargos do executivo: primeiro, para governador e, depois, para presidente. Só após estes dois votos é que o eleitor vota para prefeito. O número para o cargo de prefeito também é formado por dois dígitos.

Edição: Kleber Sampaio