Ex-secretário de obras do Rio sai da cadeia para regime domiciliar

0
O ex-secretário municipal de Obras do Rio Alexandre Pinto, que ocupou a pasta durante o governo de Eduardo Paes, ganhou o direito a cumprir prisão em regime domiciliar. A decisão do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, foi divulgada nesta segunda-feira (30). O Ministério Público Federal (MPF) se manifestou contra a medida, mas Bretas considerou que Pinto vem colaborando com a Justiça e não vai atrapalhar o andamento do processo, que já está em estágio adiantado.
“Diante disso, a substituição da prisão preventiva pelas medidas cautelares de recolhimento noturno, proibição de contato com os demais investigados e de ausentar-se da comarca, parecem ser medidas suficientes para a situação atual, consoante o requerimento da defesa. Ante o exposto, substituo a prisão preventiva pelas seguintes medidas cautelares: recolhimento domiciliar integral, ressalvado atendimento médico emergencial; proibição de contato com os demais investigados nas ações penais; apresentação de seu passaporte na Secretaria do Juízo”, escreveu Bretas.
Pinto admitiu que recebeu propina superior a R$ 1 milhão das empreiteiras Carioca Engenharia e OAS durante as obras que antecederam os Jogos Olímpicos. Segundo depoimento prestado à Justiça Federal no início de julho, ele disse que recebeu em torno de R$ 750 mil da Carioca, referente ao corredor expresso de ônibus Transcarioca, e mais R$ 60 mil da despoluição da Bacia de Jacarepaguá. Da OAS, teria recebido de R$ 250 mil a R$ 300 mil, segundo seus cálculos.
Pinto foi preso em agosto de 2017 na Operação Rio 40 Graus e posteriormente solto pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). Mas foi preso novamente em janeiro deste ano, na Operação Mãos à Obra, e se encontrava em prisão preventiva.
Edição: Denise Griesinger
  Vencedores do Nobel da Paz pedem justiça contra abusos sexuais


| deixe sua opinião |

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui