Otaviano Pivetta aceita ser candidato a vice-governador de Mato Grosso

0
Crédito das fotos: Lucas Ninno

O PDT está “rachado” na definição dos rumos a tomar nas eleições deste ano. O partido realiza neste sábado a convenção no Hotel Fazenda Mato Grosso para definir as candidaturas proporcionais e a indicação de apoio na majoritária.
Apesar do “estresse”, como classificou o deputado Zeca Viana, o partido confirma que vai apoiar Mauro Mendes ao Governo. Por volta do meio-dia, o ex-prefeito chegou ao encontro e ainda vai se pronunciar.
O clima no início da reunião, que é realizada a portas fechadas, foi de extrema tensão. Um grupo defendeu que o partido continue no apoio ao ex-prefeito Mauro Mendes (DEM), pré-candidato ao Governo. Outro, queria que a legenda adote outro posicionamento, levando a sigla para apoiar o senador Wellington Fagundes (PR).
A divisão no partido intensificou após decisão do pré-candidato ao Governo, Mauro Mendes, de conceder a segunda vaga ao Senado na coligação para o ex-vice-governador Carlos Fávaro (PSD). O partido defendia publicamente que o deputado federal Adilton Sachetti (PRB) disputasse o Senado.
Outro ponto de descontentamento dos pedetistas, é a forma como o MDB ingressou no grupo de apoio a Mauro. Segundo ele, as lideranças do DEM aceitaram facilmente as supostas imposições do deputado federal Carlos Bezerra (MDB). As próprias lideranças que defendem o apoio a Mauro entendem que o PDT teria ficado “isolado” pelo DEM.
Ao chegar no encontro, o presidente regional do PDT, deputado estadual Zeca Viana, explicou que a insatisfação foi exposta a Mauro Mendes. Porém, acredita que os caminhos não devem mudar, mas conversa com grupo é necessária, para poder ouvir e acalmar os ânimos. “Depois desta reunião vamos ter um posicionamento mais firme, mas não tem muito que mudar não, devemos seguir com Mauro”, disse Viana.
VICE DEFINIDO
O ex-prefeito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta, nome mais cotado para compor como vice da chapa de Mendes, chegou a reunião anunciando que não disputaria o cargo. Todavia, ele foi demovido pelo próprio Mauro Mendes, que reforçou o convite “de público” para ele ser vice. “Quero aqui oficialmente, convidar Otaviano Pivetta, para que marche ao nosso lado e seja nosso vice-governador. Se ele aceitar esse enorme desafio, podemos mostrar que o sonho continua, dar um exemplo de persistência e crença no presente e no futuro”, disse Mauro, ao relembrar que ambos estão no mesmo grupo desde 2010.
Pivetta respondeu brincando que se sentia “a noiva no pedido de casamento”. Ele ainda pediu que a militância se manifestasse, ao que foi atendido para aceitar. “Então, neste caso eu digo sim”, disse, sendo aclamado pelo público.
Com isso, a chapa para o executivo está formada com Mauro Mendes ao Governo e Otaviano Pivetta de vice. Para o Senado, as vagas são de Jayme Campos (DEM) e Carlos Fávaro, restando definir os suplentes.
RACHA
Um dos principais insatisfeitos com os rumos do PDT é o deputado estadual  Alan Kardec. Ele tem sido apontado como um dos “semeadores da discórdia” na legenda.
Isso porque, teria explanado não aceitar imposições partidárias, acusando o partido de negociar aliança sem ouvir membros da sigla. Ele aponta que os pré-candidatos não estão sendo consultados sobre as decisões da cúpula.

  Haddad pede que simpatizantes multipliquem presença nas redes sociais




| deixe sua opinião |

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui