Grupo gestor realiza primeira reunião para discutir retirada da vacinação em Mato Grosso
Publicado em 11/02/2018 às 11:01 | CenárioMT com Assessoria
+ -




A primeira reunião da Equipe Gestora do Plano Estratégico Estadual do Programa Estadual de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa 2017-2026, foi realizada nesta sexta-feira (09.02), na sede do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT), quando discutiu as ações para o reconhecimento de país livre de febre aftosa sem vacinação. O Plano Estratégico do Programa Nacional de Febre Aftosa (PNEFA) foi elaborado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

O grupo gestor estadual foi designado pela Portaria Indea nº 68/2017, publicada no Diário Oficial do Estado, em 21 de dezembro de 2017. Durante a reunião, foi discutida a necessidade de reedição da Portaria, que deverá ser publicada novamente no DOE. Entre as atribuições do grupo gestor estadual, estão: promover o planejamento, monitorar a execução e realizar a avaliação das operações previstas.

Na ocasião, foram apresentadas as ações a serem executadas em Mato Grosso, e a possível inclusão de algumas propriedades mato-grossenses no Bloco I (Rondônia e Acre), em que a retirada da vacinação está prevista para maio de 2019. Isso deve ocorrer nos municípios de Rondolândia, Colniza, Aripuanã, Comodoro e Juína, por manterem relação comercial com os estados do Bloco I. Mato Grosso, integra o Bloco V, em que a última vacinação do rebanho deve ocorrer em maio de 2021.

Para o presidente do Indea, Guilherme Nolasco, o processo de retirada da vacinação contra a febre aftosa vai favorecer a abertura de novos mercados. “O plano estratégico estadual será construído juntamente com todos os setores envolvidos na cadeia produtiva. E ao evoluirmos para status de zona livre de febre aftosa sem vacinação, Mato Grosso poderá conquistar a abertura de novos mercados internacionais”.

Foram definidos objetivos, diretrizes estratégicas, metas globais e um conjunto de 16 operações, agrupadas da seguinte forma: interação com as partes interessadas no programa de prevenção da febre aftosa; ampliação das capacidades dos serviços veterinários; fortalecimento do sistema de vigilância em saúde animal; realização da transição de zona livre de febre aftosa com vacinação para sem vacinação no país.

Leia:  Projeto Rural Sustentável vai selecionar novas Unidades Multiplicadoras em Mato Grosso.

A diretora técnica do Indea, Daniella Soares, apresentou as diretrizes estratégicas, metas globais e um conjunto de 16 operações. “Para que o Plano tenha êxito é necessário que haja interação das partes envolvidas nesse processo. A participação da cadeira produtiva será fundamental para o fortalecimento da defesa sanitária”.

Para a chefe do Serviço de Fiscalização de Insumos e Saúde Animal da SFA-MT, Janice Elena Ióris Barddal, o grupo gestor será importante na discussão de medidas que minimizem os efeitos da transição. “Sem dúvida é a melhor maneira de chegarmos ao que realmente precisa ser feito, discutindo ações que minimizem os efeitos da transição para a retirada da vacina. É um trabalho estratégico, em que teremos que olhar atentamente para todas as peculiaridades do estado”, disse.

Os membros que compõe o grupo gestor estadual são: Indea; Superintendência Federal de Agricultura em Mato Grosso (SFA-MT); Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat); Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato); Sindicato das Industrias de Frigoríficos de Mato Grosso (Sindifrigo); Associação de Criadores de Suínos do Estado de Mato Grosso (Acrismat); Associação dos Produtores de Leite do Mato Grosso (Aproleite), e Conselho Regional de Medicina Veterinária de Mato Grosso (CRMV-MT).

Leia:  Ainda focado no clima na Argentina, milho inicia pregão desta 6ª feira com ligeiras perdas, próximos da estabilidade

O Plano Estratégico está alinhado com o Código Sanitário para os Animais Terrestres, da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), e as diretrizes do Programa Hemisférico de Erradicação da Febre Aftosa (Phefa), em prol também da erradicação da doença na América do Sul.





Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Notificar
avatar
wpDiscuz
Senado vota permissão para incluir pessoas em grupos nas redes sociais
Senado vota permissão para incluir pessoas em grupos nas redes sociais
Marabá volta a sofrer com cheias do Tocantins
Assunto Apimentado 005 - Huck é a bola da vez no meio político
Assunto Apimentado 004 - O povo brasileiro está cansado de sustentar incompetentes
Assunto Apimentado 003 - A desfaçatez dos réus candidatos o caso Antônio Joaquim