Programa garante qualificação na rede SUS e economiza R$ 6 milhões ao erário
Publicado em 10/02/2018 às 10:20 | CenárioMT com Assessoria
+ -




Ao qualificar 8.103 profissionais de saúde servidores estaduais e municipais de Mato Grosso pelo Tele Educa MT (unidade de tele-educação do programa Telessaúde Mato Grosso), a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) deixou de gastar R$ 6 milhões somente em 2017.

 

A Educação Permanente em Saúde (EPS) dos profissionais do SUS é um dos produtos do programa Telessaúde, resultado de uma parceria de três anos entre a SES-MT e o Hospital Universitário Júlio Muller, e que também oferece teleconsultorias e telediagnósticos por meio de uma plataforma digital.

 

Segundo Oberdan Coutinho, coordenador do Tele Educa MT, das 8.103 participações de profissionais de saúde registradas durante as transmissões ao vivo, 4.338 foram em web aulas e 3.715 em webconferências, com aumento de 14% no número de acessos em relação ao ano anterior. Todas as transmissões foram gravadas e estão disponíveis no Canal Tele Educa Mato Grosso no portal do You Tube.

 

“Os temas trabalhados em 2017 foram definidos a partir da demanda das teleconsultorias e de levantamento realizado pela Unidade de Tele-educação”, observa o coordenador, lembrando que em 2016 o número total de participações em web aulas conferências foi de 7.112, o que mostra uma evolução em 2018.

Leia:  Vigilância Epidemiológica registra aumento de casos de Chikungunya em Várzea Grande

 

Em janeiro do ano passado a web aula com o tema “Mudança no Calendário Vacinal” teve 732 participações. Em fevereiro, “Vacina Febre Amarela” registrou 409 participantes e em maio a web aula “Informes sobre a I Conferência Estadual de Vigilância em Saúde” reuniu 352 participantes.

 

Dentre os 141 municípios mato-grossenses, apenas nove não participaram de nenhuma web aula no ano de 2017. São eles: Alto Taquari, Araguainha, Figueirópolis D’Oeste, Jauru, Nova Olímpia, Santa Terezinha, Santo Antônio do Leste, São José do Xingu e São Pedro da Cipa.

 

As regiões de saúde do Teles Pires e da Baixada Cuiabana se destacaram pelo número de participações ao longo do ano de 2017 com 1.693 e 1.470 participações, respectivamente. Ainda houve 41 registros de participação de outros estados do Brasil.

 

Outro dado que mostra o aumento do interesse do servidor pela web aula do Tele-Educação é o número de visualizações nos vídeos disponibilizados na internet. Foram 136.446 visualizações, totalizando 954.607 minutos assistidos no ano de 2017.

Leia:  Projeto Rural Sustentável vai selecionar novas Unidades Multiplicadoras em Mato Grosso

 

Educação permanente

A Educação Permanente de Saúde foi trazida para o Sistema Único de Saúde (SUS) pela Organização Panamericana de Saúde e consiste em garantir aprendizado aos profissionais de saúde dentro do ambiente do trabalho.

 

“Nesse contexto, a rede Telessaúde tem o objetivo principal de encurtar distâncias para garantir a educação permanente em saúde, reduzindo custos e otimizando o aprendizado por meio de tecnologias de comunicação e informação para que a gente consiga ensinar o profissional nas dúvidas que surgem durante o trabalho dele e, desta forma, garantir a qualidade no atendimento do usuário do SUS em Mato Grosso”, pontua Oberdan Coutinho.





Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Notificar
avatar
wpDiscuz
Senado vota permissão para incluir pessoas em grupos nas redes sociais
Senado vota permissão para incluir pessoas em grupos nas redes sociais
Marabá volta a sofrer com cheias do Tocantins
Assunto Apimentado 005 - Huck é a bola da vez no meio político
Assunto Apimentado 004 - O povo brasileiro está cansado de sustentar incompetentes
Assunto Apimentado 003 - A desfaçatez dos réus candidatos o caso Antônio Joaquim