Turistas internacionais deixaram R$ 3,95 bilhões no Brasil, em janeiro de 2024, maior valor da série histórica

Em dólares, a entrada de divisas foi de US$ 800,6 milhões, valor 13% superior aos deixados na economia brasileira em janeiro de 2019, último ano antes da pandemia

Fonte: AgênciaGov

Turistas internacionais deixaram R$ 3,95 bilhões no Brasil, em janeiro de 2024, maior valor da série histórica -
Turistas internacionais deixaram R$ 3,95 bilhões no Brasil, em janeiro de 2024, maior valor da série histórica -

Turistas internacionais em visita ao Brasil deixaram no País, no mês de janeiro de 2024, US$ 800,6 milhões, de acordo com o Banco Central (BC). O valor é o maior da série histórica iniciada em 1995. É, ainda, o segundo recorde de divisas seguido registrado já que, no acumulado de 2023, as entradas no setor foram de US$ 6,9 bilhões, valor 1,5% superior à maior arrecadação com o turismo internacional acumulada até então, em 2014, ano que o país sediou a Copa do Mundo de futebol.

Os US$ 800,6 milhões injetados na economia brasileira por turistas internacionais no primeiro mês do ano equivale a cerca de R$ 3,95 bilhões e também é pouco mais de 13% superior à do mesmo período de 2019, último ano antes da pandemia de Covid-19, que foi de US$ 703,6 milhões. Em janeiro de 2023 a entrada foi de US$ 609,7 milhões e, em 2022, as divisas deixadas por visitantes do exterior ficaram em US$, 421,2 milhões, segundo informações do Portal de Dados da Embratur.

O presidente da Agência, Marcelo Freixo, comemorou o resultado. “Nós batemos o recorde de receitas em 2023 e agora o governo Lula começa o ano com mais um resultado histórico. Essa vitória é resultado do trabalho qualificado da Embratur, da dedicação de todo trade do turismo e do desempenho do presidente, que está reconectando nosso país com o mundo reafirmando valores como democracia, diálogo e sustentabilidade. O Brasil voltou e o mundo entendeu o recado. Recentemente, a presidente do FMI, Kristina Georgieva, disse que o Brasil é uma boa notícia. É isso que somos, uma boa notícia para o mundo e a consequência é mais emprego e mais renda para a nossa população”, comemorou.

“Esses US$ 800,6 milhões representam o melhor janeiro da série histórica e, nos 12 meses de 2023, também atingimos o valor recorde de entradas, que foi de US$ 6,9 bilhões”, acrescentou Freixo.

[Continua depois da Publicidade]

Verão
Em termos econômicos, janeiro é um dos períodos mais quentes do turismo no Brasil, graças ao verão, que atrai visitantes estrangeiros especialmente para o seguimento de sol e praia. No período, 956.737 turistas do exterior vieram ao país, com aumento do fluxo de todos os principais emissores, com exceção da Argentina, que passa por um agravamento da sua crise econômica. Os dados da Embratur, Ministério do Turismo (MTur) e Polícia Federal mostraram a manutenção do patamar do verão anterior.

A Argentina segue como principal país emissor, embora tenha registrado uma queda no período de 19%, por conta dos problemas econômicos enfrentados pelos hermanos no período. Foram 110.310 turistas a menos na comparação com janeiro de 2023, quando 562.446 argentinos vieram curtir o verão e as festas pré-carnavalescas.

O resultado negativo foi atenuado devido às ações da Embratur, que estabeleceu um plano de contingência à crise que atravessa o país vizinho. Já o segundo maior emissor em janeiro foi o Paraguai, que apresentou um aumento no número de entradas no país de 19.454, indo de 84.884 em janeiro de 2023 para 104.338 em 2024. O crescimento percentual foi de 22,9%.

Chile se destaca
O terceiro lugar em emissões, no mês de janeiro, ficou com o Chile, que apresentou, também, o maior crescimento percentual: 47,8%. O país andino foi de 52.217 turistas no Brasil no primeiro mês de 2023 para 77.221 em janeiro último, um acréscimo de 25.004 visitantes. Além disso, no acumulado de 2023, o Chile retornou ao patamar pré-pandemia registrado em 2018 e retomou a posição de terceiro maior mercado emissor de turistas para o Brasil, com um total de 458.576 chegadas.

Em quarto lugar, no mês de janeiro, o Uruguai passou de 56.438 turistas enviados ao Brasil para 62.848 no mesmo período deste ano – um aumento de 6.410, ou 11,3%. Na sequência, em quinto, vem os Estados Unidos, com alta no número de turistas em janeiro que chegou a 8,9%. O país foi de 47.651 em janeiro do ano passado para 51.919 este ano, 4.268 a mais.

Já a Bolívia enviou 17.686 turistas para o Brasil em janeiro último, um crescimento de 4.396, e ficou em sexto. O Peru, em sétimo, teve aumento de 2.194 visitantes, com 9.214 entradas registradas. O Equador vem em seguida, com 1.690 entradas e aumento de 78 turistas, e a Venezuela registrou 1.184 turistas nos primeiros 31 dias deste ano, um crescimento de 158 visitantes em relação a janeiro do ano anterior. Os demais países emissores cresceram, juntos, 40.636, passando de 167.639 para 208.275 no comparativo entre os períodos.

Por: Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur)

Redatora do portal CenárioMT, escreve diariamente as principais notícias que movimentam o cotidiano das cidades de Mato Grosso. Já trabalhou em Rádio Jornal (site e redação).