Exportações brasileiras de milho em queda: análise e perspectivas

Fonte: CenárioMT

88e9b0e1 a5b9 4130 9ac0 4378d5f100aa
Movimentação de cargas no Porto de Paranaguá (PR) - Foto: APPA

De acordo com os dados da Secex divulgados em 09/05, as exportações brasileiras de milho totalizaram 64,11 mil toneladas, representando uma queda de 84,97% em comparação com o mesmo período de 2023. Em Mato Grosso, principal produtor nacional do cereal, o volume exportado em abril de 2024 foi de 9,21 mil toneladas, registrando uma redução de 95,93% em relação a março de 2024.

Essa diminuição nos volumes exportados de milho em abril é uma tendência comum nesta época do ano, uma vez que os terminais nos portos estão direcionados para a soja, devido ao período de entressafra do milho. Entretanto, em abril de 2024, foram observados os menores níveis dos últimos três anos, o que se justifica pela saída repentina do principal importador dos últimos meses, a China.

Prevê-se que, com a entrada da nova safra nos próximos meses, as exportações retomem aos níveis observados nos últimos anos, impulsionadas pelo mercado internacional. No entanto, é importante monitorar os desenvolvimentos globais e as políticas comerciais para entender melhor o cenário futuro das exportações de milho brasileiro.

Em relação aos preços, na B3, o preço do milho fechou com alta de 1,21% em comparação com a última semana, atingindo a média de R$ 57,90 por saca. Na CME-Group, o preço também subiu 1,46% em relação à semana anterior, chegando a US$ 4,50 por bushel. No mercado local de Mato Grosso, o preço do milho disponível aumentou 3,23% na última semana, fechando com média de R$ 36,10 por saca, influenciado pelas condições climáticas adversas no sul do Brasil.

[Continua depois da Publicidade]
É formado em Jornalismo. Possui experiência em produção textual e, atualmente, dedica-se à redação do CenárioMT produzindo conteúdo sobre política, economia e esporte regional.