Celulares com sinal de satélite podem se tornar o padrão em breve

Fonte: CenárioMT

Meta: O que redes sociais podem fazer com suas imagens
Créditos: Motorola

Prepare-se para ter sinal de celular em qualquer lugar do mundo! As principais operadoras dos Estados Unidos já fecharam acordos com empresas de telefonia via satélite, indicando uma grande mudança no mercado.

Até pouco tempo, satélites eram vistos como uma solução alternativa para locais remotos sem sinal de celular. Agora, a tendência é que a tecnologia se integre diretamente com as redes móveis, tornando a conexão via satélite parte do pacote regular.

De acordo com um relatório da GSMA Intelligence, 91 operadoras de telecomunicações ao redor do mundo já firmaram acordos com provedores de satélites. Isso representa cerca de 60% do mercado global de telefonia móvel.

[-CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE-]

Os principais motivos para essa mudança são a ampliação da cobertura de sinal e o surgimento de novas fontes de receita para as operadoras. Afinal, o satélite poderá levar sinal de celular para áreas remotas, navios em alto mar e locais atingidos por desastres naturais.

Essa nova realidade é possível graças a atualizações nas especificações de rádio 5G que permitem a compatibilidade com redes não terrestres (NTN). Isso significa que smartphones e dispositivos IoT poderão se conectar diretamente a satélites, sem precisar de uma infraestrutura terrestre.

Nos Estados Unidos, por exemplo, a Verizon e a AT&T fizeram parceria com a AST SpaceMobile, enquanto a T-Mobile US se uniu à Starlink da SpaceX. A Starlink lidera o ranking de acordos com operadoras (17), seguida pela AST SpaceMobile (24) e Lynk Global (15).

A implementação dos serviços será gradual. Inicialmente, o foco estará em ligações telefônicas e mensagens de texto SMS. Com o aumento da capacidade dos satélites, a internet também será disponibilizada.

Vale destacar que a China também entra nesse jogo, com a China Satellite Network Group planejando lançar mais de 12.000 satélites nos próximos anos. Porém, a GSMA Intelligence ressalta a dificuldade de comparação devido ao provável subsídio governamental chinês e ao foco mais doméstico da sua rede.

A grande questão que fica é: o serviço via satélite estará incluso nos planos atuais das operadoras ou será um extra cobrado à parte? A resposta ainda não está clara, mas uma coisa é certa: o futuro dos celulares parece estar cada vez mais conectado, não importa onde você esteja.

Celulares com sinal de satélite no Brasil: Quando a ficção científica vira realidade?

Celulares com sinal de satélite podem se tornar o padrão em breve

A integração entre redes móveis e satélites está se tornando uma realidade global, com o potencial de levar conexão celular para qualquer lugar do planeta. No Brasil, essa novidade ainda está em fase inicial, mas as operadoras já estão se movimentando para oferecer o serviço.

A Claro e a TIM, duas das maiores operadoras do país, firmaram acordos com empresas de satélites internacionais para testar a tecnologia. A Anatel, agência reguladora das telecomunicações no Brasil, também já aprovou os testes de conexão direta entre celulares e satélites.

Embora ainda não haja uma data oficial para o lançamento comercial do serviço no Brasil, os avanços tecnológicos e os acordos entre as operadoras indicam que essa pode ser uma realidade em breve.

[-CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE-]

Com a promessa de levar conexão celular para áreas remotas, onde o sinal tradicional não chega, e para situações de emergência, como desastres naturais, a telefonia via satélite tem o potencial de transformar a forma como nos comunicamos no Brasil.

Resta saber como as operadoras brasileiras irão precificar o serviço e se ele será acessível para todos os consumidores. Aguardamos ansiosamente por mais informações e por um futuro onde a internet e as ligações telefônicas estejam disponíveis em qualquer lugar do nosso país, independentemente da localização.