Ações da PF em seis estados combatem facções e crime organizado

Operações Peloponeso I e II e Pallium efetuaram prisões e apreenderam bens e instrumentos do crime. São executados 105 mandados de prisão e 116 mandados de busca e apreensão

Fonte: AgênciaGov

Ações da PF em seis estados combatem facções e crime organizado - PF
Ações da PF em seis estados combatem facções e crime organizado - PF

Nesta quinta-feira (15), três operações da Polícia Federal executam 105 mandados de prisão e 116 mandados de busca e apreensão contra facções criminosas e crime organizado e seus integrantes. Juntas, as operações alcançaram ramificações do crime nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Pernambuco, Paraíba, Rio de Janeiro e Espírito Santo.

A Força Integrada de Combate ao Crime Organizado (Ficco-MG) deflagrou as Operações Peloponeso I e II para combater o tráfico de drogas e o crime organizado no estado de Minas Gerais. Nesta operação, estão sendo cumpridos 105 mandados de prisão preventiva e 96 mandados de busca e apreensão nas cidades mineiras de Juiz de Fora, Além Paraíba, Volta Grande e Contagem, assim como nos municípios fluminenses de Itaperuna, Carmo e Sapucaia contra pessoas ligadas a facções criminosas com atuação em vários estados.

O cumprimento de mandados de prisão também ocorrem em unidades prisionais localizadas em Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo. A A FICCO/MG é integrada pela Polícia Civil, Polícia Militar, Polícia Federal e Polícia Penal.

Além disso, houve o sequestro judicial de dois imóveis localizados no Rio de Janeiro, avaliados em R$ 1,5 milhão, e de um veículo blindado. Foi ainda determinado o bloqueio judicial de valores de 23 investigados. Dentre estes, há membros de facções criminosas com atuação no estado do Rio de Janeiro.

[Continua depois da Publicidade]

Entre os presos está um foragido das justiças matogrossense e tocantinense, além de lideranças regionais das facções criminosas investigadas com diversas condenações judiciais pela prática dos crimes de tráfico de drogas e integração em organização criminosa.

Um dos alvos da investigação é o líder, no estado de Minas Gerais, de uma facção criminosa do Rio de Janeiro. A ação contou com a participação de cerca de 450 policiais, integrantes das polícias Civil, Federal, Militar e Penal.

Interior de SP

Também nesta quinta, equipes da PF em Ribeirão Preto (SP), deflagraram a operação Pallium, referente às práticas de crimes de associação criminosa, falsidade ideológica, evasão de divisas e lavagem de dinheiro.

Os investigados organizaram uma rede de laranjas e empresas de fachada, com a finalidade de estabelecer uma estrutura financeira destinada a movimentar recursos de origem ilícita obtidos com a prática de crimes de contrabando, descaminho, tráfico de drogas, dentre outros.

Basicamente, os recursos eram depositados e remetidos através de operações entre contas pessoas físicas e jurídicas, até chegar o momento de aplicar alguma estratégia para seu envio ao exterior.

As estratégias adotadas seriam o dólar-cabo e suas variações, nas quais os reais transitados pelo sistema financeiro por meio de laranjas e empresas de fachada eram utilizados para a compensação de recursos movimentados no interesse do operador e seus clientes donos dos recursos ilícitos.

O cerne da investigação consistiu em identificar as empresas de fachada e laranjas utilizados no esquema e a forma como tudo ocorria para, ao final, requerer as medidas de busca deferidas, com o objetivo de coletar elementos de prova convergentes aos fatos investigados e indicados nas fichas de alvo.

Ao todo, foram cumpridos 20 mandados de busca em 10 cidades, localizadas nos estados de SP, MG, PE e PB e empregado o efetivo de 85 policiais federais.

Os criminosos responderão pelos crimes de associação criminosa, falsidade ideológica, lavagem ou ocultação de bens, cujas penas podem variar de 7 a 24 anos de prisão.