Bióloga salva jiboia em risco na rua, mas animal se enrola em seu braço durante soltura

Fonte: CenarioMT

A jiboia é basicamente um animal com hábitos noturnos (o que é verificável por possuir olhos com pupila vertical), ainda que também tenha atividade diurna.
A jiboia é basicamente um animal com hábitos noturnos (o que é verificável por possuir olhos com pupila vertical), ainda que também tenha atividade diurna.

Uma jiboia que colocava sua vida em risco ao tentar atravessar uma rua movimentada de Juína, a 737 km de Cuiabá, foi resgatada por uma bióloga que passava pelo local. Saiba mais sobre animais em Mundo Animal.

No entanto, durante a tentativa de soltar o animal em seu habitat natural, a cobra se enrolou no braço da bióloga, criando uma situação inusitada e tensa.

Cobra jiboia encanta observadores com movimentos inusitados na água

Mundo Animal direto no seu WhatsApp!

Acesse o Mundo Animal no WhatsApp e receba conteúdos incríveis sobre animais: curiosidades, vídeos, fotos e muito mais! Explore o mundo selvagem e aprenda com a gente!

Jiboia Resgatada em Juína se Enrola em Braço de Bióloga durante Soltura

[Continua depois da Publicidade]

Bravura e Inusitado: Bióloga Salva Jiboia na Rua e Recebe Abraço Inesperado

Viviane Assunção da Silva, a bióloga que salvou a vida da jiboia, já havia feito um curso de manejo de serpentes. Por isso, mesmo sem o equipamento necessário, ela conseguiu conter o animal e soltá-lo em um ambiente de reserva ambiental.

Jiboia e lobete flagrados em um duelo selvagem e emocionante

“Estava indo até uma escola de Juína, quando me deparei com a jibóia fazendo a travessia de uma via, correndo risco de ser atropelada”, disse a professora e bióloga.

As jiboias são predadoras oportunistas, alimentando-se de uma variedade de animais, incluindo roedores, lagartos, aves e mamíferos.
As jiboias são predadoras oportunistas, alimentando-se de uma variedade de animais, incluindo roedores, lagartos, aves e mamíferos.

Segurança em Primeiro Lugar

Embora a atitude de Viviane tenha salvado a vida da jiboia, o biólogo Henrique Abrahão alerta que, em casos semelhantes, o ideal é acionar as autoridades para realizar o resgate.

“A cobra pode acabar mordendo uma pessoa e, mesmo não sendo peçonhenta, pode conter alguma bactéria nos dentes e causar problemas”, explicou Abrahão.

Possui experiência em produção textual e, atualmente, dedica-se à redação do CenárioMT produzindo conteúdo sobre a região norte de Mato Grosso.