Suspeitos de duplo homicídio em Peixoto de Azevedo são presos pela Polícia Civil

Fonte: CenarioMT

Segunda fase de operação cumpre mais nove mandados contra autores de homicídio e pai e filha
Foragido de MS por crimes sexuais é preso pela Polícia Civil em Tapurah

Duas pessoas envolvidas no duplo homicídio que vitimou duas pessoas durante um almoço no último domingo (21) em Peixoto de Azevedo foram presas na noite de segunda-feira (22) pela Polícia Civil.

As prisões ocorreram durante diligências ininterruptas para localizar os autores do crime e contaram com o apoio da Delegacia de Alta Floresta e de equipes da Delegacia Regional de Guarantã do Norte.

Prisões e Motivação

Os presos foram identificados como como sendo o companheiro da mulher e padrasto do filho dela. Além do irmão do homem, que confessou a participação no duplo homicídio. As prisões aconteceram em uma residência na região central de Alta Floresta.

[Continua depois da Publicidade]

Mãe e filho continuam foragidos e são considerados suspeitos de envolvimento no crime.

As investigações apontam que o alvo principal do crime era o dono da residência onde ocorria a confraternização. Segundo a delegada Anna Marien, responsável pelas investigações, o dono da casa teria feito ameaças públicas contra os investigados em razão de um processo referente a um contrato de aluguel.

Detalhes do Crime e Confissão

O companheiro da mulher confessou sua participação no crime, relatando que ele foi a pessoa que entrou na residência com Inês e Bruno e efetuou os disparos contra as vítimas, sem dar chance de defesa. Durante a execução do crime, o irmão dele ficou na camionete Ford Ranger do lado de fora da casa, aguardando para dar fuga aos seus comparsas.

“Com as prisões, foi possível identificar um quarto envolvido no crime, até então desconhecido. Acreditávamos que o homem de camiseta preta que entrou na casa e efetuou os disparos era o marido e padrasto dos outros dois autores do crime”, disse a delegada Anna Marien.

Próximos Passos

Após a prisão, os dois autores foram encaminhados para a Delegacia de Alta Floresta, onde todas as providências cabíveis foram tomadas pelo delegado Thiago Marques Berger. O delegado representará pela conversão do flagrante em prisão preventiva.