Rede de enfrentamento à violência contra a mulher definem agenda para o Agosto Lilás

Mês é dedicado a ações de combate a violência

Fonte: CenárioMT

352998770 6658718920829709 2127300217517048025 n
Foto: Assessoria

As entidades e instituições que compõem a rede de enfrentamento a violência contra a mulher em Lucas do Rio Verde, estão definindo ações a serem desenvolvidas no próximo mês. Agosto Lilás é um período dedicado a ações para combater a violência contra a mulher.

A Secretária de Assistência Social, Janice Ribeiro, observa que a rede de enfrentamento no município é bastante forte. Contudo, mesmo com as ações desenvolvidas, ainda há muitos casos de violência doméstica registrados pelas autoridades policiais.

“A gente já vem fazendo várias ações, mas vê os números crescentes e sempre vem aquela preocupação, o que cada um de nós pode fazer a mais para contribuir. Tivemos várias ideias”, explicou Janice, assinalando que as propostas serão colocadas no papel e uma programação será desenvolvida no próximo mês.

A intenção é trabalhar a conscientização da sociedade, homens e mulheres, para amenizar essa situação. Segundo os representantes das instituições que formam a rede, muitos homens praticam a violência por virem de um ambiente em que era comum a violência doméstica. “Isso passou a ser uma coisa natural e nós queremos que essa coisa não seja natural, que a gente possa se ajudar e caminhar juntos, principalmente sem violência”, assinalou.

Ações

Durante o bate papo ocorrido na última semana foram avaliadas as ações já empreendidas, principalmente as que envolvem as forças de segurança. Um dos exemplos é a patrulha Maria da Penha desenvolvida pela Guarda Civil Municipal.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Outra ‘ferramenta’ é o botão do pânico desenvolvido para que mulheres que já tenham medidas protetivas. “É só acionar o botão do pânico e a viatura (da GCM) que estiver mais próximo da sua residência socorrerá aquela mulher”, observou Janice.

O Núcleo de Atendimento à Violência Contra a Mulher também foi citado na reunião pelo atendimento feito a mulheres vítimas de violência. “A partir da abertura desse núcleo, um espaço onde as mulheres se sentem encorajadas para procurar ajuda, porque elas vão ser acolhidas por outra mulher que entende do seu problema”, detalhou.

É formado em Jornalismo. Possui experiência em produção textual e, atualmente, dedica-se à redação do CenárioMT produzindo conteúdo sobre política, economia e esporte regional.