Carimbo Fake: Operação da Polícia Civil desmantela esquema de venda de atestados médicos falsos em Várzea Grande

A operação visou combater um esquema de falsificação e venda de atestados médicos falsos que envolvia agentes públicos da Secretaria de Saúde do Município de Várzea Grande.

Fonte: CenarioMT

Carimbo Fake: Operação da Polícia Civil desmantela esquema de venda de atestados médicos falsos em Várzea Grande

Em uma ação conjunta entre a Delegacia Especializada de Combate à Corrupção (Deccor) e as 1ª e 2ª Delegacias de Polícia de Várzea Grande, a Polícia Civil de Mato Grosso deflagrou na manhã desta terça-feira (28) a Operação Carimbo Fake.

A operação visou combater um esquema de falsificação e venda de atestados médicos falsos que envolvia agentes públicos da Secretaria de Saúde do Município de Várzea Grande.

As investigações, que tiveram início a partir de denúncias recebidas nas delegacias distritais, apontaram que servidores públicos das unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Várzea Grande falsificavam atestados médicos e os vendiam pelo aplicativo WhatsApp.

Os atestados eram confeccionados com carimbos e assinaturas falsos e, após a compra, eram entregues aos compradores através de aplicativos de transporte.

Com base nas provas coletadas, a 4ª Vara Criminal de Várzea Grande, a pedido do Ministério Público, expediu 17 ordens judiciais, sendo oito mandados de busca e apreensão e nove medidas cautelares. Entre as medidas cautelares, duas determinam o afastamento imediato dos servidores envolvidos de seus cargos na Secretaria de Saúde.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Outras medidas cautelares incluem a proibição de frequentar qualquer unidade de saúde pública do município e a proibição de contato entre os investigados, testemunhas e outros servidores da saúde.

Os investigados responderão pelos crimes de falsificação de documento público, corrupção passiva e corrupção ativa, além de outros crimes que se configurarem durante o andamento das investigações.

A Operação Carimbo Fake é um importante passo no combate à fraude e à corrupção no âmbito da saúde pública. A venda de atestados médicos falsos não só prejudica o sistema de saúde, como também coloca em risco a saúde da população, que pode ser induzida a erro ao utilizar documentos falsificados.

A ação da Polícia Civil demonstra o compromisso da instituição com o combate à criminalidade e a defesa da lisura do serviço público.

Possui experiência em produção textual e, atualmente, dedica-se à redação do CenárioMT produzindo conteúdo sobre a região norte de Mato Grosso.