Nascidos de parto normal podem ter propensão a alto QI. Neurocientista explica

De acordo com o Dr. Fabiano de Abreu, o desenvolvimento neurológico relacionado com a microbiota intestinal é fundamental para a inteligência da criança

Fonte:

birth 2747060 1280

birth 2747060 1280

O processo de gestação é fundamental para a saúde do bebê, os cuidados tidos nesse período influenciam diretamente diversos aspectos da vida da criança, mas além disso, o momento do parto também tem grande influência sobre a saúde do bebê, incluindo a sua inteligência.

Durante o parto natural, o contato do bebê com a flora vaginal da mãe é fundamental para manter o equilíbrio da microbiota intestinal da criança, além de influenciar em diversos pontos do seu desenvolvimento.

De acordo com um estudo publicado na revista científica American Journal of Neuroradiology, a realização de um parto cesáreo impacta no neurodesenvolvimento infantil, causando uma redução de mielina – substância que reveste os nervos, seu desgaste pode influenciar funções do cérebro – durante toda a infância.

[Continua depois da Publicidade]

Outro estudo recentemente publicado na revista Cell Host & Microbe, o uso das bactérias benignas da flora vaginal da mãe em bebês nascidos por cesariana ajuda a reequilibrar a microbiota intestinal da criança, o que influencia o seu desenvolvimento neurológico, além de risco aumentado durante certo período da infância de contrair asma, alergias ou diabetes.

Segundo o Pós PhD em neurociências e especialista em genômica, o Dr. Fabiano de Abreu Agrela, já há fortes evidências da influência do parto no desenvolvimento cerebral da criança, e consequentemente, sua inteligência.

Já está fortemente estabelecido pela ciência que há claras diferenças entre a microbiota intestinal dos bebês nascidos de cesárea e de parto natural, isso se dá pois no parto natural há um contato com a flora vaginal da mãe, o que ajuda na formação da flora intestinal da criança, o que é fundamental para diversos processos do corpo que vão desde a absorção de nutrientes e imunidade, às funções cognitivas”.

Existem estudos que indicam também que o tipo de parto pode ter efeitos moderadores sobre a disposição genética relacionada à inteligência nas crianças, apesar de não ter sido encontrado nenhum gene significativo, foram localizados diversos loci (regiões específicas mapeadas em um Genoma) que, a depender da forma do parto, apresenta efeitos moderadores na inteligência, além de identificarem variações no gene GRIN2A em crianças nascidas em cesárea que estão ligadas a um menor QI” Explica.

[Patrocinado]

No entanto, todas as evidências apontam que a influência é transitória, durando algum tempo apenas durante a infância, mas como eu sempre digo, todo precursor é significativo para o fenótipo. Ainda há a necessidade  de mais estudos que analisem seus impactos a longo prazo” Afirma Dr. Fabiano de Abreu.

Dr. Fabiano de Abreu Agrela Rodrigues, Colunista do Cenário MT é um Pós-doutor e PhD em neurociências eleito membro da Sigma Xi, The Scientific Research Honor Society e Membro da Society for Neuroscience (USA) e da APA - American Philosophical Association, Mestre em Psicologia, Licenciado em Biologia e História; também Tecnólogo em Antropologia com várias formações nacionais e internacionais em Neurociências e Neuropsicologia. É diretor do Centro de Pesquisas e Análises Heráclito (CPAH), Cientista no Hospital Universitário Martin Dockweiler, Chefe do Departamento de Ciências e Tecnologia da Logos University International, Membro ativo da Redilat, membro-sócio da APBE - Associação Portuguesa de Biologia Evolutiva e da SPCE - Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação. Membro Mensa, Intertel e Triple Nine Society, sociedades de pessoas com alto QI.