Dino diz que não há campanha para ser ministro do STF

Ministro da Justiça é um dos cotados para assumir vaga de Rosa Weber

Fonte: André Richter - Repórter da Agência Brasil - Brasília

Brasília (DF), 20/09/2023, Os ministérios da Justiça e Segurança Pública e do Esporte assinam acordo de cooperação com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O ministro da Justiça, Flávio DIno. Foto: José Cruz/Agência Brasil
Brasília (DF), 20/09/2023, Os ministérios da Justiça e Segurança Pública e do Esporte assinam acordo de cooperação com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O ministro da Justiça, Flávio DIno. Foto: José Cruz/Agência Brasil

O ministro da Justiça e Segurança Pública (MJSP), Flávio Dino, disse nesta quarta-feira (20) que “não existe campanha” para ser ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). O ministro também declarou que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai fazer “boas escolhas” nas indicações para a Corte.

No início desta noite, Dino participou de um evento no STF em comemoração aos 35 anos da Constituição. O ministro é um dos cotados para substituir a presidente da Corte, ministra Rosa Weber, que se aposentará na próxima semana, ao completar 75 anos.

Dino, que foi juiz auxiliar do ex-ministro Nelson Jobim, disse que, pela história do Supremo, não há candidatura ou campanha para ser ministro da Corte.

“Eu sempre soube, estudando a história do Supremo, que não existe candidatura a ministro do Supremo, não existe campanha para ministro do Supremo, não existe pleito, pedido e solicitação para ser ministro do Supremo. É uma designação do presidente da República e aprovação do Senado.Quando você enxerga as coisas assim, você fica muito tranquilo. Eu estou muito bem no Ministério da Justiça. Deixo o presidente Lula amadurecer a reflexão dele acerca das alternativas que ele tem. Tenho certeza que ele vai fazer boas escolhas”, afirmou.

[Continua depois da Publicidade]

Com a saída de Rosa Weber, o STF terá apenas uma mulher, a ministra Carmen Lúcia, na composição do plenário. A posse de Luís Roberto Barroso, novo presidente do tribunal, está marcada para quinta-feira (28). Ele ficará no cargo por dois anos.

Edição: Marcelo Brandão

Fique por dentro das últimas notícias de Brasília e tudo o que acontece em política: STF, Senado. Diretamente da redação do CenárioMT.