Cerca de 20% do eleitorado mato-grossense pode não conseguir votar na eleição suplementar do dia 26 de abril, para a escolha de um novo senador, porque não realizaram o cadastro biométrico.

Por isso, o Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT) prorrogou o prazo para que os eleitores possam fazer a biometria para 21 de fevereiro. A eleição será realizada em 26 de abril.

Os partidos políticos e as coligações devem solicitar ao TRE o registro dos candidatos a uma vaga no Senado até o dia 17 de março.

Conforme o TRE, a estimativa é que hoje o número de eleitores que não fizeram o cadastramento biométrico pode passar de 500 mil pessoas.

A vaga para o Senado foi aberta com a cassação do mandato da senadora Selma Arruda (Podemos). Ela foi cassada em dezembro por abuso de poder econômico e caixa dois na campanha eleitoral de 2018.

Mesmo cassada, Selma Arruda continuou no cargo.

Selma foi condenada pelo TRE-MT em julho de 2019, mas recorreu no cargo. Em dezembro, o TSE manteve a decisão da primeira instância que cassou o mandato dela. O Acórdão foi publicado no dia 19 de dezembro.