Delegado da DIG detalha como adolescente esquartejou jovem: ‘desejava matar para ver como é’

0
Foto: Reprodução/Facebook

O jovem de 17 anos que confessou ter esquartejado uma adolescente de 16 anos em Araraquara (SP) disse à Polícia Civil que “desejava matar para ver como é”. Esse foi o principal motivo do crime contra a vítima que foi escolhida ao acaso.

O suspeito e a namorada, que ajudou no transporte das partes do corpo, foram apreendidos na segunda-feira (10). Segundo o delegado Fernando Bravo, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), ambos não demonstraram arrependimento.


Continua depois da publicidade

“Ele contou que a parte do corpo guardada na casa dele era um troféu. Pouco antes de deixar a delegacia, disse que não estava arrependido. A namorada apresentou algum arrependimento na frente da mãe, mas quando ela estava com a gente até dava risada do que estava acontecendo”.

A estudante Yasmin da Silva Nery foi encontrada durante a tarde. Ela estava desaparecida desde domingo (9). A polícia ainda procura por partes do corpo que foram jogadas na rede de esgoto. Equipes do Corpo de Bombeiros e do Departamento Autônomo de Água e Esgoto (Daae) devem auxiliar as buscas nesta terça-feira (11).

O velório será na manhã desta quarta-feira (12), das 8h às 10h, no velório da Sincef. O sepultamento será no Cemitério das Cruzes.

-Continua depois da publicidade ©-

Segundo o delegado, familiares da estudante contaram que o último contato dela tinha sido com um adolescente. Ele foi encontrado e apresentado na delegacia na presença do pai.

“Inicialmente ele estava muito nervoso, começou a apresentar versões contraditórias. Saímos com diligências e,chegando na casa onde ele mora com a mãe, ele já começou a nos dizer que realmente ia falar a verdade e acabou por confessar que tinha matado”, disse o delegado.

De acordo com Bravo, o adolescente contou que após o crime cortou o corpo da jovem e espalhou pela cidade. “Conseguimos encontrar uma parte do tronco e um pedaço da perna na casa dele. Cabeça e outros membros estavam em uma represa. E outras partes foram jogadas dentro de uma galeria de esgoto. Estamos trabalhando para recuperar essas partes”.

Ainda segundo o delegado o suspeito confessou que agiu sozinho. “Mas foi apurado depois que ele tinha uma namorada que o auxilou no transporte das partes do corpo e jogou na represa. Ela também foi apreendida e ambos serão apresentados aos Ministério Público nesta manhã”, disse Bravo.





-Patrocinador-