Deputado quer celeridade em projeto sobre esporte com animais após proibição de Prova de Laço

0
Foto: Clube equestre

O deputado Dilmar Dal Bosco (DEM) saiu em defesa dos praticantes de esportes com animais na Assembleia Legislativa. O parlamentar pediu para acelerar a tramitação do Projeto de Lei 017/2019, de sua autoria, que “institui normas e critérios sobre a prática esportiva equestre de forma a garantir o bem estar dos animais” em Mato Grosso.

No fim de semana passado, o Ministério Público Estadual (MPE) conseguir uma liminar na justiça que proibiu a realização das Provas de Laço durante a 7ª Festa do Cavalo, realizada em Cuiabá.

O objetivo do parlamentar é que até o dia 18 a matéria possa ser votada em redação final.

“As provas com cavalo fazem parte do patrimônio histórico e cultural. Estão nas raízes de Mato Grosso e, mais do que lazer, são importantes para a economia estadual, pois movimentam a economia e geram emprego a milhares de pessoas. Nosso objetivo é regulamentar a prática esportiva para garantir a manutenção do esporte e a saúde dos animais, que, com a tecnologia que existe atualmente, comprovadamente não passam por sofrimento”, destacou Dal Bosco.

A proibição das Provas de Laço na Semana do Cavalo poderia ser evitada. Na legislatura passada, o projeto de Dal Bosco chegou a ser aprovado pela Assembleia, mas foi vetado pelo ex-governador Pedro Taques e o veto foi mantido no parlamento pela diferença de apenas um voto.

“Agora reapresentamos o projeto, pois acreditamos que é o melhor a ser feito. Com a dispensa de pauta, devido à urgência que o caso requer, acredito que vamos conseguir a aprovação novamente com os deputados e também que o governador Mauro Mendes, com a sensibilidade que tem, vai sancioná-lo”, declarou o deputado.



A matéria já está em análise na Comissão de Educação, Ciência, Tecnologia, Cultura e Desporto. Após emissão do parecer, vai para primeira votação em plenário. O texto aponta as formas de acondicionamento e transporte dos animais, obriga acompanhamento veterinário, proíbe o doping, além de outras normas para as boas práticas na realização de eventos esportivos.

“O intuito é promover e difundir os esportes equestres e ao mesmo tempo garantir o bem-estar do animal junto ao público e aos participantes dos eventos, que envolvam concentração e apresentação de animais, de modo que em todos os eventos o bem-estar dos animais seja uma prioridade. Por isso, a importância de garantir boas estruturas para a realização de eventos equestres, garantindo segurança ao público e aos animais evitando situações que possam colocar qualquer um em risco”, justificou.