Novo sistema de controle de cargos comissionados está em teste

Novo sistema de controle de cargos comissionados está em teste

0

A Secretaria de Estado de Gestão (Seges-MT) validou a institucionalização de um sistema de controle de cargos comissionados do Executivo. Ainda em fase de teste, o SigOrg foi desenvolvido pelo servidor da Secretaria de Planejamento (Seplan), Edmar Augusto Vieira, e deve entrar em funcionamento em fevereiro de 2019.

Conforme o secretário de Estado de Gestão, Ruy da Fonseca, a inciativa do servidor foi acolhida pela equipe da Superintendência de Desenvolvimento Organizacional da Seges. Ele explica que o sistema traz modernidade para o acesso à informação, possibilitando controle efetivo e ágil não só para a estrutura de cargos, mas para o gasto que cada nível hierárquico ocasiona.


#Patrocinador

“Um ponto de evolução é saber quanto custa cada pedaço de uma secretaria, entender quanto custa uma mudança de estrutura é importante para saber se estamos evoluindo com mais gasto ou mais eficiência. Este é um ponto de melhoria que podemos atingir com esta ferramenta desenvolvida”, comenta.

Edmar conta que é uma satisfação disponibilizar o aplicativo para uso do governo do Estado. Ele destaca que o maior impacto da aplicação é o acesso ás informações de gastos da estrutura, em tempo real, apenas utilizando filtros nas buscas. Por exemplo, é possível saber com alguns cliques o quanto se gasta só com as coordenações em todo o Estado, ou apenas em uma secretaria, ou então, em uma secretaria adjunta.

  Mauro Mendes entrega proposta de reforma administrativa ao chefe do Executivo

A mesma lógica se aplica a todos os cargos em comissão de todas as estruturas. As informações também podem ser visualizadas por organogramas dinâmicos e completos, com nome dos ocupantes dos cargos, contato institucional, entre outras informações.

A iniciativa surgiu como parte do treinamento em programação web com Java, com foco no conceito de hierarquia ou autorelacionamento, realizado pelo servidor. Além de disponibilizar a tecnologia de forma não onerosa ao Estado, a plataforma permitirá também consultas públicas, contribuindo assim com a transparência.

| deixe sua opinião |

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui