Remédio para pressão pode ajudar a tratar dores de cabeça causadas por lesões cerebrais, revela estudo

Fonte:

20210223102439594784e

20210223102439594784e

A cefaleia, ou dor de cabeça, pode ser causada por uma série de fatores. No entanto, uma das causas mais graves são as lesões cranianas traumáticas, que ocorrem quando golpes repentinos acontecem na cabeça. Mesmo quando não são graves, eles podem ter a cefaleia como principal sintoma.

De acordo com um novo estudo realizado por pesquisadores do VA Puget Sound Health Care System, o medicamento prazosina, que é normalmente utilizado para tratamentos de hipertensão, pode ser benéfico na neutralização de dores de cabeça decorrentes de lesões cranianas.

Como foi realizado o exame?

[Continua depois da Publicidade]

O estudo piloto incluiu 48 veteranos e militares que relataram ter dores de cabeça causadas por traumatismos cranioencefálicos (TCE) leves (concussões) e que ingeriram doses crescentes do medicamento. Os resultados apontaram que a droga foi bem tolerada e que houve melhora na qualidade de vida dos pacientes, reduzindo o incômodo das dores de cabeça.

“O Prazosin agora oferece uma abordagem baseada em evidências para aliviar o sofrimento de veteranos e militares que lutam há anos com dores de cabeça pós-traumáticas frequentes”, disse Murray Raskind, MD, em um comunicado à imprensa.

O medicamento pode ser uma nova opção para o tratamento de cefaleias?

De acordo com o neurocirurgião Dr. Bruno Burjaili, os resultados são importantes. Para que a prazosina passe a ser usada corriqueiramente no tratamento de cefaleias causadas por TCEs, porém, ainda são necessários mais estudos.

[Patrocinado]

“Já sabemos da eficácia de medicamentos com atividade no sistema circulatório, como anti-hipertensivos e anti-arrítmicos, no controle de alguns tipos de dor de cabeça. A prazosina, entretanto, é uma inovação como possibilidade no tratamento dos casos relacionados ao trauma físico”.

“É sempre muito bom poder contar com mais uma opção no arsenal de tratamento, ainda que devamos aguardar estudos um pouco maiores antes de tornar essa alternativa uma prática clínica regular” Afirma Dr. Bruno Burjaili.

Dr. Fabiano de Abreu Agrela Rodrigues, Colunista do Cenário MT é um Pós-doutor e PhD em neurociências eleito membro da Sigma Xi, The Scientific Research Honor Society e Membro da Society for Neuroscience (USA) e da APA - American Philosophical Association, Mestre em Psicologia, Licenciado em Biologia e História; também Tecnólogo em Antropologia com várias formações nacionais e internacionais em Neurociências e Neuropsicologia. É diretor do Centro de Pesquisas e Análises Heráclito (CPAH), Cientista no Hospital Universitário Martin Dockweiler, Chefe do Departamento de Ciências e Tecnologia da Logos University International, Membro ativo da Redilat, membro-sócio da APBE - Associação Portuguesa de Biologia Evolutiva e da SPCE - Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação. Membro Mensa, Intertel e Triple Nine Society, sociedades de pessoas com alto QI.