Príncipe Harry admite uso de drogas na adolescência e diz que matou 25 pessoas no Afeganistão

Fonte: CENÁRIOMT COM R7

harry

O bombástico livro de memórias do príncipe Harry — Spare — foi posto à venda na Espanha, nesta quinta-feira (5), por engano. A publicação, que tinha data de lançamento programada para a próxima semana, vazou, e os portais de notícias britânicos já revelaram os maiores escândalos da obra.

Confira abaixo alguns dos relatos de Harry, que em 417 páginas comenta o relacionamento com o irmão, causos da vida privada e memórias de quando lutou no Afeganistão.

Harry usou cocaína aos 17 anos

Em uma viagem de caça quando tinha 17 anos, uma pessoa, que Harry não especificou quem, ofereceu cocaína ao príncipe. O jovem, que disse tentar “qualquer coisa que alterasse a ordem preestabelecida”, aceitou a droga.

[-CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE-]

“Claro que eu cheirei cocaína naquela época. Na casa de uma pessoa, durante um fim de semana de caça, me oferecerem uma carreirinha, e desde então eu consumi mais algumas vezes”, admitiu Harry.

O príncipe detalhou a experiência como diferente, mas não tão espetacular como pareceria para os outros que consumiram a cocaína junto dele.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

“Não foi muito divertido e eu não me senti especialmente alegre como parece ter sido com os outros, mas isso me fez sentir diferente, e esse era meu objetivo principal. Sentir. Ser diferente.”

Harry matou 25 pessoas no Afeganistão

O duque de Sussex passou dez anos nas Forças Armadas do Reino Unido, período no qual fez duas incursões no Afeganistão, na época dominado pelos Estados Unidos, que tentavam expulsar o Talibã do poder junto dos países aliados.

Em Spare, Harry afirma que muitos soldados não sabem ao certo quantas pessoas mataram, já que, em uma troca de tiros no campo de batalha, balas são disparadas “indiscriminadamente”. O príncipe, porém, tem um número preciso: 25.

“A maioria dos soldados não sabe exatamente quantas mortes eles têm nos próprios créditos. Em uma batalha, muitas vezes você dispara indiscriminadamente”, conta Harry. “Então, meu número: 25. Não é algo que me enche de satisfação, mas não me sinto envergonhado também.”

O príncipe ressalta que essas mortes não são algo de que ele se orgulha, mas reforça que prefere viver em “um mundo sem Talibã, um mundo sem guerra”.

“No entanto, mesmo para um praticante casual de pensamento positivo como eu, existem realidades que não podem ser mudadas.”

Harry perdeu a virgindade com uma mulher mais velha

O duque de Sussex também dividiu memórias íntimas, como a ocasião em que perdeu a virgindade. Sem especificar em que momento da vida isso ocorreu, Harry detalhou o local, a pessoa e como aconteceu.

“Montei nela rapidamente; após isso, ela me bateu na bunda e me segurou”, revelou o príncipe, acrescentando que a mulher era mais velha e amava cavalos. “Um dos meus erros foi deixar isto acontecer em um campo, atrás de um pub movimentado. Certamente alguém nos viu”.

[-CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE-]

Ainda segundo Harry, este foi um momento humilhante.

Redatora do portal CenárioMT, escreve diariamente as principais notícias que movimentam o cotidiano das cidades de Mato Grosso. Já trabalhou em Rádio Jornal (site e redação).