Participantes de rituais acusam grupo xamânico de aplicar veneno de sapo proibido no Brasil sem aviso

participantes de rituais acusam grupo xamanico de aplicar veneno de sapo proibido no brasil sem aviso 1366204

Crises de pânico e de ansiedade, surtos psicóticos, problemas respiratórios e pensamentos suicidas são alguns dos problemas relatados pela advogada Gabriela Augusta Silva, de Goiás, depois de participar de um ritual realizado por um grupo que se define como xamânico – com uma substância psicodélica proibida no Brasil.

Gabriela foi submetida a uma sessão com o veneno de um sapo conhecido como Bufo alvarius para, segundo ela, aprofundar sua jornada espiritual.

No dia 21 de outubro de 2021, a advogada, que vive em Goiânia, foi até São Paulo para o ritual. Inalada a substância, disse ter perdido a consciência. Quando acordou, cerca de 30 minutos depois, nunca mais foi a mesma, afirmou.

Enfrentando o luto pela perda do irmão – que morreu em 2017, em um acidente de carro –, Gabriela buscava maior conexão com Deus e fora incentivada por um dos integrantes do grupo a experimentar o veneno com propriedades psicodélicas. Ela não foi a única (saiba de mais casos abaixo).

[Continua depois da Publicidade]

Gabriela, que afirma jamais ter tido questões de saúde mental, chegou a ser internada em um hospital neurológico, passou a frequentar o psiquiatra e a tomar remédios controlados. Só quando procurou um médico soube que a substância inalada é proibida no Brasil.

Trata-se da 5-MeO-DMT, um psicodélico que está na lista de substâncias proibidas pela Anvisa e compõe o veneno do sapo Bufo alvarius (renomeado Incilius alvarius), encontrado no México e nos Estados Unidos.

O veneno, conhecido popularmente como “bufo”, seca quando extraído e, depois, é fumado em rituais e cerimônias ditas religiosas e espirituais no exterior e no Brasil, liberando o psicodélico 5-MeO-DMT e outras substâncias.

Redatora do portal CenárioMT, escreve diariamente as principais notícias que movimentam o cotidiano das cidades de Mato Grosso. Já trabalhou em Rádio Jornal (site e redação).