Amazônia brasileira e sustentabilidade no turismo são destaques no jornal norte-americano The Wall Street Journal

Reportagem retrata importância da conservação da biodiversidade para geração de emprego e renda através do turismo

Fonte: AgênciaGov

Amazônia brasileira e sustentabilidade no turismo são destaques no jornal norte-americano The Wall Street Journal - Foto: Divulgação
Amazônia brasileira e sustentabilidade no turismo são destaques no jornal norte-americano The Wall Street Journal - Foto: Divulgação

Considerada uma das prioridades da nova gestão da Embratur, a sustentabilidade nos destinos brasileiros foi destaque em um dos mais importantes jornais do mundo. O The Wall Street Journal publicou uma grande reportagem, no último dia 15 de fevereiro, na qual destaca a Amazônia e a geração de emprego e renda a partir de práticas sustentáveis no turismo.

O interesse dos visitantes estrangeiros pela região amazônica, em função da biodiversidade, da gastronomia e ecoturismo, é grande. De acordo com o Portal de Dados da Embratur, cerca de 24 mil estrangeiros visitaram o estado do Amazonas em 2023. Os turistas são, na maioria, vindos da Argentina, Estados Unidos (país onde a reportagem foi publicada) e Paraguai.

E foi esse interesse que embasou o artigo do jornalista Tom Downey intitulado “Deep in the Amazon Rainforest, a Bucket List Trip With a Thoughtful Mission” (em português: “Nas profundezas da Floresta Amazônica, uma viagem com uma lista de desejos com uma missão cuidadosa”), com fotos de Quentin De Briey.

A matéria traz a região amazônica – sobretudo a cidade de Manaus (AM) – como cenário turístico internacional e um destino indutor de emprego e renda por meio do turismo. A reportagem destaca como a biodiversidade e a responsabilidade com a natureza podem gerar negócios para a comunidade local, e mostra como uma empresária brasileira está “capacitando comunidades indígenas e levando os viajantes às profundezas da selva para defender a preservação”.

[Continua depois da Publicidade]

Para o presidente da Embratur, Marcelo Freixo, o turismo de natureza e o turismo de base comunitária são grandes vitrines para o mercado internacional. “O turismo de base comunitária coloca a comunidade como protagonista da experiência turística. Além de movimentar a economia, também ajuda na conservação do meio ambiente e na promoção do desenvolvimento social dos moradores. Somos parceiros deste movimento e das boas práticas relacionadas ao turismo, pois o turismo é a grande alternativa de economia do século XXI. A Amazônia é um lugar para ser preservado e é um dos nossos ativos para o turismo internacional”, reforçou.

Por: Embratur

Redatora do portal CenárioMT, escreve diariamente as principais notícias que movimentam o cotidiano das cidades de Mato Grosso. Já trabalhou em Rádio Jornal (site e redação).