21.5 C
Lucas do Rio Verde
segunda-feira, 04 julho, 2022
Publicidade
InícioMundo animalCobrasCobra sucuri de quatro metros é resgatada; vídeo

Cobra sucuri de quatro metros é resgatada; vídeo

Texto por CenarioMT

Uma cobra sucuri de quatro metros foi resgatada por funcionários de uma fazenda, localizada na zona rural do município de Santa Rita do Passo Quatro, interior de São Paulo (SP).

O resgate da cobra sucuri aconteceu na tarde da última quarta-feira (30) e foi feito por funcionários da fazenda.


--Continua depois da publicidade--

Em seguida, a cobra sucuri foi encaminhada para a base da Polícia Ambiental. Os agentes levaram a sucuri até uma área florestal, onde realizaram sua soltura de forma segura.

O vídeo da soltura da cobra sucuri foi publicado pelo Biólogo Henrique Abrahão – O Biólogo das Cobras – em seu canal no Youtube.

A SUCURI

A sucuri é uma cobra da família Boidae, pertencente ao gênero Eunectes e sua distribuição geográfica é restrita à América do Sul.


--Continua depois da publicidade--

Até o momento são conhecidas quatro espécies de sucuri ─ Eunectes notaeus, Eunectes murinus, Eunectes deschauenseei e Eunectes beniensis ─ sendo as três primeiras com ocorrência no Brasil e a última ocorrente na Bolívia.

A Eunectes murinus é a maior cobra do continente americano, chegando a medir até 11 metros e 60 centímetros, e a segunda maior a nível mundial, perdendo em tamanho apenas para a cobra píton (Python reticulatus) do sudeste Asiático.

A cor das diferentes espécies de sucuri varia conforme a espécie. A Eunectes murinus possui um colorido de fundo que varia da verde oliva a preta, com pares de ocelos escuros em cada lado do dorso, e o ventre é amarelo, com manchas muito irregulares.

Estas cobras vivem perto de córregos, rios e lagos. Apesar de não serem ágeis em ambiente terrestre, elas são muito rápidas dentro d’água podendo ficar até 30 minutos sem respirar. Possuem hábitos crepusculares e noturnos.
Sucuri é capturada em fazenda de Santa Rita do Passa Quatro e solta em seu habitat natural — Foto: Polícia Ambiental/Divulgação

É mais frequente o seu avistamento em ambientes da Amazônia e do Cerrado onde o padrão de coloração da sua pele ajuda na camuflagem.

Já a espécie Eunectes notaeus que possui um porte menor tem um colorido de fundo mais amarelo e ao longo de todo o corpo e cauda existem manchas pretas que atravessam o dorso de um lado ao outro, em forma de sela. São encontradas em áreas que inundam anualmente, como a região do Pantanal, no Brasil.

Estas cobras vivem perto de córregos, rios e lagos. Apesar de não serem ágeis em ambiente terrestre, elas são muito rápidas dentro d’água podendo ficar até 30 minutos sem respirar. Possuem hábitos crepusculares e noturnos.

A estratégia utilizada para caçar é a da espreita seguida do bote. As sucuris não são venenosas, pois não possuem dentes inoculadores de veneno, mas sua mordida é forte o bastante para atordoar sua presa que rapidamente é envolvida pela musculatura forte e robusta da serpente.

Utilizam esta tática em animais que se aproximam dos corpos d’água para beber, surpreendendo sua presa em potencial dando o bote e matando-a por constrição e afogamento. Na dieta das sucuris é possível encontrar diversos vertebrados, como por exemplo: peixes, rãs, lagartos, jacarés, aves e roedores.


--Continua depois da publicidade--

São cobras vivíparas, podendo parir mais de 50 filhotes numa gestação de oito meses, com tamanhos entre 60 cm e um metro de comprimento. As fêmeas são maiores que os machos, atingindo maturidade sexual por volta dos seis anos de idade. De modo geral, as espécies de sucuri podem viver por até 30 anos.

O ser humano é o maior responsável pela morte deste réptil devido ao medo que sentem desta cobra e devido também ao interesse pela pele da sucuri que no comércio internacional é bastante valiosa para o mercado da moda.

Ataques a pessoas por sucuris são bastante raros. Porém, imagens de filmes fictícios como Anaconda, estão fixadas no imaginário popular, e contribui desta forma para a má fama das sucuris de devoradora de homens, o que não representa a realidade. Quando se sentem ameaçadas pelo homem, as sucuris geralmente mordem como forma de defesa.

A captura e a manipulação inadequada destas cobras é que costumam resultar em acidentes. (Por Camila Oliveira da Cruz; Mestre em Ecologia (UERJ, 2016); Graduada em Ciências Biológicas (UFF, 2013))


--Continua depois da publicidade--

Se você gostou deste post: Cobra sucuri de quatro metros é resgatada; vídeo  – vai gostar também de ler esta notícia: Jacaré é flagrado em passarela; VÍDEO

Siga-nos no Facebook Twitter para se manter informado com as notícias de hoje!

João Ricardo
João Ricardohttps://www.cenariomt.com.br
Possui experiência em produção textual e, atualmente, dedica-se à redação do CenárioMT produzindo conteúdo sobre a região norte de Mato Grosso.

Publicidade


Publicidade

Lucas do Rio Verde

DISPARADA
Lucas do Rio Verde registrou mais de 720 novos da Covid-19 na última semana
julho 04, 2022
DIREITO ANIMAL
Lucas do Rio Verde: Em evento escolar, defensores falam sobre direitos e proteção de animais
julho 04, 2022
EDUCAÇÃO
Projeto que cria passe livre a estudantes é aprovado pela Câmara de Lucas do Rio Verde
julho 04, 2022
RGA DA EDUCAÇÃO
Prefeito Miguel participa de reunião com vereadores para esclarecer erro material em projeto de lei
julho 04, 2022