Cobra jararaca deixa mulher de pernas bambas; ASSISTA

Fonte: CenarioMT

O soro antiveveno (antiofídico) é uma substância usada para tratar pessoas que tiveram veneno injetado em seus corpos através das mordidas ou picadas de um animal
Mato Grosso registra aumento em mortes causadas por picada de cobras

Uma cobra jararaca deixou uma mulher de pernas bambas e o vídeo ganhou repercussão na internet.

O encontro entre a cobra jararaca, uma das mais peçonhentas, aconteceu na região da praia da Guarda do Embaú, no município de Palhoças estado de Santa Catarina (SC). O registro foi feito no dia 07 de março de 2022.

O vídeo foi gravado por Mara Quinoto Both e enviado para o Biólogo Henrique Abrahão – O Biólogo das Cobras. O Especialista publicou o vídeo em seu canal no YouTube.

Mundo Animal direto no seu WhatsApp!

Acesse o Mundo Animal no WhatsApp e receba conteúdos incríveis sobre animais: curiosidades, vídeos, fotos e muito mais! Explore o mundo selvagem e aprenda com a gente!

[-CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE-]

Mara relatou que levou o maior susto ao encontrar a cobra jararaca no meio da trilha.

“Que susto! Ele passou e nem viu… e quando fui pisar dei um salto e quase enfartei. Ele (cobra) de um lado… eu no outro e a danada ali fazendo onda pra passar enquanto eu tentava segurar minha pernas que tremiam de uma jeito horrível. Ela foi pro ladinho e se ajeitou pro bote. Não entendo nada de cobra… mas tenho medo dessas assim, que chamo de jararaca kk se é… não sei”, disse.

VEJA O VÍDEO:

YouTube video

A jararaca

A Jararaca – Bothrops leucurus ou Jararaca-Malha-de-sapo é uma espécie de serpente da família Viperidae. Endêmica do Brasil, pode ser encontrada nos estados de Maranhão, Ceará, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, Minas Gerais e Espírito Santo.

É a serpente peçonhenta mais comum da Mata Atlântica do Nordeste. Atinge 1,2 m de comprimento em média, mas há registros de até 1,5 m. O desmatamento tem favorecido sua expansão territorial.

jararaca pertence ao gênero Bothrops de serpentes da família Viperidae.

Popularmente, as espécies são denominadas de jararacascotiaras e urutus. São serpentes peçonhentas, encontradas nas Américas Central e do Sul, sendo importantes causadoras de acidentes com animais peçonhentos no Brasil e nos outros países onde se distribuem, com altas taxas de morbidade e mortalidade.

As diferentes espécies apresentam grande variabilidade, principalmente nos padrões de coloração e tamanho, ação da peçonha, dentre outras características. Atualmente, 47 espécies são reconhecidas, mas é consenso dentre os pesquisadores que a taxonomia e sistemática deste grupo está mal resolvida, de modo que novas espécies têm sido descritas, algumas sinonimizadas e entre outros.

Essas serpentes apresentam grande variação em tamanho, as menores espécies não ultrapassando setenta centímetros e as maiores atingindo cerca de dois metros de comprimento.

A cobra jararaca vive em ambiente preferencialmente úmidos, como beira de rios e córregos, onde também se encontram rato e sapos, seus pratos mais caçados. Dorme durante o dia debaixo de folhagens secas e úmidas, e gosta de tomar sol pós chuva.
Cobra jararaca espera por sua presa, dá
o bote e devora o lagarto. Foto: Internet
[-CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE-]

O arranjo das escamas no topo da cabeça é extremamente variável; o número de escamas interorbitais pode variar de três a catorze. Usualmente, estão presentes entre sete e nove escamas supralabiais e entre nove e onze sublabiais.

Existem entre 21-29 escamas dorsais, 139-240 ventrais e 30-86 subcaudais, que são, geralmente, divididas. Variações nos números de escamas dentro da mesma espécie são muito frequentes.

Se você gostou deste post: Cobra jararaca deixa mulher de pernas bambas; ASSISTA – vai gostar também de ler esta notícia: Jararaca é encontrada atrás de botijão de gás; VÍDEO

Siga-nos no Facebook Twitter para se manter informado com as notícias de hoje!

Possui experiência em produção textual e, atualmente, dedica-se à redação do CenárioMT produzindo conteúdo sobre a região norte de Mato Grosso.