Programa de residência em inteligência artificial aumentará competitividade de agroindústrias de MT

Fonte: Assessoria / Julia Oviedo

Inteligencia artificial agroindustria

A inteligência artificial surgiu como uma das tecnologias revolucionárias de nosso tempo, que pode ser implementada em diversos setores, inclusive em agroindústrias. E com o objetivo de gerar maior competitividade na agroindústria mato-grossense, o Instituto Senai de Tecnologia (IST MT), por meio do SenaiHub, lançou o programa de residência em inteligência artificial, que as empresas interessadas podem aderir.

Na prática, o programa recrutará pesquisadores da área de inteligência artificial para atuarem como bolsistas, encontrando soluções tecnológicas para as indústrias participantes. O programa inicia em julho deste ano e será executado durante 12 meses.

Entre as soluções que a iniciativa pode oferecer está o aumento da eficiência, a otimização de processos, a automatização de tarefas, a análise de dados, além da prevenção e redução de falhas.

A gerente de Tecnologia e Inovação do Senai MT, Naiara Galliani, explicou que um dos grandes desafios relatados pelas indústrias em Mato Grosso é a mão de obra e que a inteligência artificial pode reduzir este gargalo, com atuação em trabalhos repetitivos.

“É uma ótima alternativa para quem quer adotar tecnologia e ainda não sabe como fazer. Além disso, também é uma boa oportunidade para resolver desafios, otimizar processos, mas também fazer com que a empresa tenha uma consciência tecnológica maior. Então essa empresa que aderir ao programa vai melhorar a capacidade de adoção de tecnologia e terá uma maior capacidade para resolver os desafios”, explicou Naiara.

O programa foi lançado em outubro de 2023 e, na ocasião, contou com a presença do consultor de PDI do Senai Paraná, Marcos Paulo, que falou sobre o udo de inteligência artificial nos negócios.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

“Temos uma estrutura e equipe montada para ajudá-los a desmitificar esse aspecto de que a IA não é para mim, que é difícil de ser implantada, que eu não tenho competência para me apropriar dessa tecnologia. O HUB tem exatamente essa missão, apoiar as empresas para que elas consigam fazer essa adoção e melhorar a competitividade”, disse Marcos durante o lançamento.

É formado em Jornalismo. Possui experiência em produção textual e, atualmente, dedica-se à redação do CenárioMT produzindo conteúdo sobre política, economia e esporte regional.