Mato Grosso em Chamas: Combate a incêndios florestais ganha força em segundo mês de crescimento

Fonte: CenarioMT

Mato Grosso em Chamas: Combate a incêndios florestais ganha força em segundo mês de crescimento
Bruno Kelly/Amazônia Real

Mato Grosso lidera triste ranking de queimadas no Brasil, com 788 focos de incêndio registrados em abril, segundo dados do Inpe. Esse número alarmante marca o segundo mês consecutivo em que o estado ocupa a liderança negativa, após registrar 1.624 focos em março.

Seca, altas temperaturas e manejo inadequado do fogo são apontados como os principais vilões por trás dessa triste realidade. Áreas de transição entre biomas, onde a expansão da fronteira agrícola é impulsionada pelo desmatamento ilegal e pela queimada irregular para limpeza do terreno, concentram a maioria dos focos.

Especialistas alertam para a gravidade da situação. O engenheiro florestal Vinicius Silgueiro, do Instituto Centro de Vida (ICV), afirma que mais de 90% das queimadas ocorrem em propriedades rurais, sem autorização para o manejo do fogo.

A seca persistente desde 2019, com chuvas abaixo da média e altas temperaturas intensificadas pelo El Niño, cria um cenário propício para a proliferação dos incêndios.

Medidas de combate e prevenção estão em andamento. A proibição de queimadas na área rural, que entra em vigor em julho, será crucial para conter o avanço das chamas. O monitoramento constante por parte dos órgãos ambientais e do Corpo de Bombeiros também é fundamental.

Multa de R$ 1,5 milhão já foi aplicada pelo Corpo de Bombeiros em 2024 por uso irregular do fogo. O órgão também intensificará as ações de fiscalização e prevenção.

Ações conjuntas entre governo, ONGs e a população local são essenciais para combater esse problema de forma eficaz. A conscientização ambiental e a adopção de práticas agrícolas sustentáveis são medidas cruciais para deter a devastação dos biomas brasileiros.

Dados Relevantes:

10 municípios de MT com mais focos de incêndio em abril:

Brasnorte (55 focos)

Cáceres (54 focos)

São Félix do Araguaia (46 focos)

Querência (44 focos)

Gaúcha do Norte (41 focos)

Biomas mais atingidos:

Amazônia (452 focos)

Cerrado (268 focos)

Pantanal (68 focos)

Chamamos a atenção para a urgência da situação e cobramos das autoridades medidas mais rigorosas para combater os incêndios florestais e proteger os nossos biomas. A preservação do meio ambiente é um dever de todos nós!