Jovem que colocou fita adesiva na boca da filha de 6 meses morre após ser espancada em Sinop

Fonte: CENÁRIOMT

Samu
Foto por: Marcos Vergueiro/Secom-MT

No domingo (3), a cidade de Sinop, localizada a 500 km de Cuiabá, foi palco de uma tragédia que resultou na morte de uma jovem, de 20 anos. A vítima faleceu no Hospital Regional de Sinop após ser espancada, e ainda não há detalhes sobre a autoria do crime.

A mesma era conhecida pelas autoridades locais devido a uma investigação por maus-tratos ocorrida em 2022. Na época, a jovem havia colado a boca de sua filha, um bebê de apenas 6 meses, com fita adesiva. O ato cruel foi registrado em um vídeo que circulou nas redes sociais, revelando a situação alarmante.

O pai da vítima recebeu uma ligação informando que a filha tinha sido encontrada caída no acostamento da BR-163. O Corpo de Bombeiros foi acionado e prestou os primeiros socorros, encaminhando-a ao hospital. No entanto, ela não resistiu às graves lesões pelo corpo.

A jovem apresentava diversas lesões, e até o momento, não foram divulgados detalhes sobre os possíveis agressores ou as motivações por trás do crime. A Polícia Civil está conduzindo a investigação para esclarecer os fatos.

[Continua depois da Publicidade]

O caso que resultou na investigação por maus-tratos em 2022 ganhou notoriedade quando um vídeo revelou o bebê com a boca colada com fita adesiva. O pai da criança, ao retirar o adesivo, confrontou a mulher, expressando perplexidade diante do ato. Na época, a mãe, que estava sofrendo de depressão, foi levada para acompanhamento psicológico na casa da mãe, em Guarantã do Norte. A menina foi resgatada e passou a receber cuidados do Conselho Tutelar.

A morte trágica da jovemlevanta questionamentos sobre o contexto e as circunstâncias que levaram a essa violência. A Polícia Civil continuará a investigar o caso para esclarecer as dúvidas pendentes e buscar justiça diante dessa dolorosa situação.

Redatora do portal CenárioMT, escreve diariamente as principais notícias que movimentam o cotidiano das cidades de Mato Grosso. Já trabalhou em Rádio Jornal (site e redação).