Imprudência e aumento de casos de Covid: o que o natal reserva para os luverdenses?

Fonte: DAYA SILVA/ CENÁRIOMT

natal2

O Natal é uma festa cristã que historicamente surgiu entre os século II d.C. e IV d.C. para comemorar o nascimento do menino Jesus. Culturalmente, em todos os anos, amigos e familiares se reúnem para festejar a chegada do filho de Deus.

Mas neste ano a pandemia deixou essa cultura de reunir pessoas, insegura, perigosa e com poucos motivos para festejar, pelo menos é o que se espera! Mesmo que para algumas pessoas, quebrar essa cultura pareça ser “loucura” ou exagero, se tornou necessária uma reflexão cuidadosa que nos faça abandonar os imediatismos em prol dos futuros natais que virão a seguir.

Mesmo com inúmeros riscos, desde o início da semana, quem transita pela cidade de Lucas do Rio Verde percebe que a população sequer lembra de usar um dos itens mais necessários para barrar o contágio do vírus, pois, a máscara se tornou mais um item abandonado nas gavetas das casas. O vai e vem despretensioso em lojas, supermercados e praças dá a sensação de que estamos vivendo em um universo paralelo, no qual não há existência do coronavírus.

Em contato com algumas comerciantes da cidade ouvimos relatos de revolta e indignação: “O cliente não quer mais usar máscara e acredita que a obrigatoriedade de usá-la acabou e quando a gente pede para colocar a máscara dentro do nosso estabelecimento o cliente se revolta, fica brabo e abandona a loja sem comprar relatou um comerciante da cidade, indignado.

Tanto a Lei Federal , Estadual, quanto a Municipal continuam com a determinação de uso obrigatório das máscaras em estabelecimentos públicos e privados, vias públicas e demais espaços tendo em vista que a máscara deixou de ser acessório e passou a ser item de segurança, de saúde pública, estudos comprovam que a utilização de máscaras reduz o contágio da Covid-19 em até 75%, portanto indispensável.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Não podemos deixar de mencionar que na contramão de tudo isso temos uma linda e chamativa programação natalina na Praça Central da cidade, com luzes, casa do Papai Noel e um mini parque de diversões. De acordo com informações repassadas à redação do CenárioMT, a cada noite, o local está recebendo mais de 2.000 pessoas, que disputam a diversidade de brinquedos.

São idosos, crianças e adultos, sendo alguns nos grupos de risco, que definitivamente terceirizam a responsabilidade dos próprios cuidados com a saúde para o poder público, que irresponsavelmente deixou o local bastante convidativo para o público em geral.

Diferentemente do que aconteceu a poucos meses, onde o Município chegou a decretar o fechamento total do comércio da cidade, diga-se de passagem, com muito menos casos ativos da doença do que temos hoje, a promoção de eventos grandiosos tem a finalidade de criar verdadeiro espetáculo a céu aberto que certamente custará muitas vidas, nem a atualização diária que constata o aumento assustador de casos é capaz de convencer a maioria dos luverdenses e o Poder Público Municipal que o vírus é perigoso e mortal.

Precisamos ter consciência, reclamar menos, agir mais, cada um fazendo a sua parte, venceremos essa batalha tão difícil de combater!

Use máscara, lave as mãos e respeite as medidas de restrição e de prevenção. Precisamos continuar nos prevenindo e cuidando de quem a gente ama!

 

Confira o último boletim atualizado da Covid-19 em Lucas do Rio Verde

WhatsApp Image 2020 12 23 at 14.07.47