Hospitais regionais recebem materiais e treinamento para atender casos suspeitos de coronavírus em MT

Fonte: G1 MT e TV Centro América

1 242
Foto: TVCA/Reprodução

Os hospitais regionais de Mato Grosso também poderão ser usados para receber eventuais pacientes com suspeita do novo coronavírus (Covid-19). A medida foi anunciada nessa quinta-feira (12) pelo secretário de Saúde do estado, Gilberto Figueiredo, durante a reunião do Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública.

Ainda na tarde dessa quinta-feira a Secretaria Estadual de Saúde (SES) informou que foram notificados outros cinco casos suspeitos do novo coronavírus no estado. No total, são seis casos suspeitos.

Os números divulgados pelas secretarias estaduais e o Ministério da Saúde não são necessariamente iguais, já que os órgãos têm horários e procedimentos distintos para apresentação de seus boletins diários.

Em Mato Grosso, a unidade referência para atender possíveis casos do Covid-19 é o Hospital Universitário Júlio Muller, em Cuiabá.

Já o hospital de retaguarda é a Santa Casa, também localizada na capital.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

De acordo com o secretário, os hospitais regionais estão sendo qualificados para atender os casos suspeitos.

“Nossos diretores dos hospitais estão todos em Cuiabá passando por uma reciclagem a respeito disso e estamos nos preparando. Caso haja necessidade, todos estarão disponíveis para atender”, explicou.

Gilberto disse ainda que o Laboratório Central de Saúde Pública de Mato Grosso (Lacen) deve receber mais insumos e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). Segundo ele, o vírus requer uma atenção especial, mas que esse não é um momento para pânico.

Na reunião, foram discutidas as formas de atuação diante da possibilidade do surgimento de novos casos. Uma portaria foi publicada com as normas em relação a quarentena.

“Já foi ditado uma lei e agora uma portaria para regulamentar de que forma as autoridades estaduais e municipais podem obrigar os possíveis casos confirmados para que os pacientes façam a quarentena, conforme estipulado em lei”, ressaltou.

A quarentena significa que o paciente ficará 14 dias em casa. “Só serão encaminhados aos hospitais casos graves e críticos”, disse o secretário.

Cirurgias suspensas

Ainda durante a reunião a Secretaria Municipal de Saúde determinou a suspensão de parte das cirurgias eletivas realizadas no Hospital Municipal de Cuiabá (HMC), para que os leitos fiquem à disposição de pacientes vítimas do coronavírus.

As cirurgias de ‘giro rápido’, ou seja, que o paciente não precisa ficar internado na unidade, devem continuar sendo realizadas normalmente.

A secretaria também afirma que está se planejando também para que essa situação não atrapalhe o trabalho que está sendo feito para diminuir as filas de cirurgia nos hospitais da capital.

Com o avanço da doença e o aumento exponencial de casos no Brasil, a equipe técnica da SMS se reuniu para discutir novas medidas a serem tomadas, mesmo sem haver casos confirmados em Cuiabá.

Recomendações

Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca do novo coronavírus. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infeccções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas;
  • Realizar lavagem frequente das mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente;
  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • Manter os ambientes bem ventilados;
  • Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença;
  • Evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).