Entregas delivery durante a pandemia impulsionam vendas de motos em MT

Fonte: G1 MT

1 64
Foto: Aline Costa/G1

Em agosto, a venda de motos em Mato Grosso aumentou 83,9% em relação a julho, conforme dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Uma das explicações para o aumento nas vendas são os decretos que determinaram o fechamento de comércios e a entrega de comida apenas na forma “delivery” durante a pandemia de coronavírus.

As máquinas agrícolas também tiveram aumento de 82,7% nas vendas em agosto devido à continuidade na produção de alimentos, setor que não parou durante a pandemia.

Em geral, o setor de veículos novos reagiu acima da expectativa em Mato Grosso, conforme a Fenabrave, que destaca ainda aumento de 33,97% nas vendas de veículos agosto. Enquanto em julho foram comercializados 6.117 veículos, em agosto foram 8.195, contabilizando todos os segmentos (automóveis e comerciais leves, caminhões, ônibus, motos, implementos rodoviários e outros). Subiram ainda o segmento de automóveis e comerciais leves (13,07%) e ônibus (130,77%).

Para o concessionário e diretor da Fenabrave-MT, Claudio Bagestan, a melhora está ligada à retomada do comércio e ao restabelecimento dos estoques. Ele pontua que a demanda ainda não é favorável e que as vendas represadas influenciam nos números positivos.

“Em nossa visão, o alto valor agregado dos produtos agro e obras federais, estaduais e municipais fazem o mercado ter sinais positivos, mas diante de um período de extrema perda de receitas e vendas”, explica.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Para Ronan Alves, diretor representante do segmento de motos da Fenabrave, os dados poderiam ser ainda melhores. Em sua opinião, nem todas as motos que são vendidas são emplacadas. Ele enfatiza também a retomada dos estoques, já que as montadoras paralisaram as atividades de março até maio, o que gerou demanda reprimida.

“O número não é real em sua totalidade e também houve mudança do modal de entrega de produtos, onde motoboys e frotistas adquiriram mais veículos e ainda esperam a disponibilidade de estoque”, esclarece.

Se o grande impulso está no agronegócio, o diretor Ovídio Zanquet, da Terra Premium Comércio de Máquinas Agrícolas (concessionária New Holland), se mostra motivado, embora as margens de vendas não acompanhem os números positivos. Ele explica que o mercado está competitivo e existe até mesmo a preocupação com a entrega dos pedidos. “A demanda que surge para hoje precisa aguardar. As margens de lucros não acompanham porque há forte concorrência e seguidas altas no câmbio”, avalia.

Segundo o balanço da Fenabrave, em relação às vendas no ano passado, houve redução de 10,63% em todos os segmentos. No acumulado do ano, a queda ainda é expressiva (-26,48%) e o registro é de queda em todos os segmentos.

Para o diretor da Fenabrave Regional Mato Grosso, Paulo Boscolo, as vendas ainda são impactadas pela pandemia, principalmente, pela insegurança de compra do consumidor. “O prognóstico do segmento automobilístico local é de que o 2º semestre será favorável para vendas, mas existe ainda a preocupação com a crise na economia”, pondera Boscolo.